MpD saúda novo regime de desembaraço aduaneiro simplificado

0

Miguel Monteiro sublinhou ainda que este “novo procedimento” irá permitir cumprir o prazo de um dia para desalfandegar as mercadorias

O MpD enalteceu esta terça-feira, 10, o novo regime de pequenas encomendas adotado pelo Governo da República e que fixa tabela única para o desembaraço aduaneiro simplificado, para as encomendas que chegam ao País, provenientes de familiares na emigração.

Em declarações aos Jornalistas na Cidade da Praia, o Secretário Geral do Partido no Governo, explicou que esta medida enquadra-se na política de “melhorias” que o Governo do MpD tem em curso, seja para a nossa Diáspora, seja para os nacionais.

Miguel Monteiro fez as contas e concluiu que estamos perante uma situação que trará “transparência e justiça”, uma vez que fixa valor único a pagar, deixando de depender de quem avalia a encomenda.

“É pago o mesmo valor em todo o território nacional”, sublinhou Miguel Monteiro. Entretanto, o SG do MpD lembrou que quando o valor da mercadoria está entre zero escudos e 10.000$00, ela “está em franquia” e como tal “não pagará nada”.

“Quando o valor da mercadoria está entre o intervalo de 10.000$00 a 100.000$00, a mesma pagará uma taxa única de 4.000$00 no caso dos géneros alimentícios, ou de 5.500$00 no caso de artigos usados. No regime anterior, a partir de 15.100$00, pagava logo uma taxa de 30%, o que representava um valor de 4.530$00, ou seja já superior ao valor de taxa única de 4.000$00 do novo regime. Mas se o valor fosse, por exemplo, de 60.000$00, pagava 18.000$00, enquanto agora irá pagar os mesmos 4.000$00 ou 5.500$00. Basta que o valor seja inferior a 100.000$00 o valor será sempre o mesmo de 4.000$00 ou 5.500$00”, elucidou.

O dirigente político saudou a instalação de equipamentos scanners em todo o território nacional, medida que no seu entender irá introduzir “maior segurança e celeridade”, mantendo a “dignidade” de quem recebe as mercadorias, não as expondo, pois, segundo notou, a inspeção manual “passará a ser exceção e não regra”.

Miguel Monteiro sublinhou ainda que este “novo procedimento” irá permitir cumprir o prazo de um dia para desalfandegar as mercadorias, para além, naturalmente, de “aumentar a segurança”, com um controlo mais efetivo de substâncias ilícitas e perigosas.

O decreto-lei vai ainda ser alvo de regulamentação, através de portaria, dando instruções “mais detalhadas”, sobre como todo o processo deve acontecer, frisou o SG do MpD.

- PUBLICIDADES -

COMENTE ESTA NOTÍCIA

Por favor digite seu comentário!


COMENTÁRIOS: O País defende a liberdade de expressão e o debate livre de ideias. Entretanto, todos os comentários são mediados pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Advertimos, no entanto, de que os comentários devem cumprir os critérios estabelecidos pela Coordenação Editorial, nomeadamente, não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem, não ofender o bom-nome de pessoas e instituições, não conter acusações sobre a vida privada de terceiros, e não conter linguagem inadequada. Comentários que não respeitarem estes pressupostos não serão considerados.


Por favor, digite seu nome aqui