PAN acusa internautas de deturpar suas declarações sobre agenda cultural de São Vicente

0

Jorge Santos foi ao festival da Baía das Gatas e teceu elogios à agenda cultural da ilha de São Vicente, mas as suas declarações estão a ser “deturpadas e descontextualizadas”

É o próprio Presidente da Assembleia Nacional que admite que as suas declarações proferidas à margem da 35.ª edição do festival internacional da Baía das Gatas estão a ser “deturpadas e descontextualizadas”.

Jorge Santos refere em concreto, a duas publicações na rede social Facebook, em que dois internautas que são militantes do PAICV ou ex- dirigentes e governantes daquele Partido, “mascarados” da Sociedade civil, fazem “manipulação” das suas afirmações.

“Eu fiz um elogio positivo da ilha de São Vicente e destaquei a pluralidade de manifestações culturais e apelei a uma aposta na qualidade e especialização da nossa cultura, com um enfoque especial na formação e internacionalização dos nossos artistas e agentes culturais”, explicou Jorge Santos em conversa com OPAÍS.cv, para quem a atitude dos “escribas” mais não é do que “construir uma fake news” contra a sua pessoa e o sistema MpD.

Santos reafirma que é necessário “valorizar os festivais e relevar a sua importância nas dinâmicas sociais e económicas” da Cidade do Mindelo e de Cabo Verde.

De acordo com o político, no momento em que milhares de Cabo-verdianos da nossa imensa Diáspora e muitos turistas estão de férias no Arquipélago, a “conjugação e confrontação” da nossa música e outros géneros culturais com a experiência estrangeira é uma forma de “expansão e enriquecimento da nossa cultura”.

A diversidade da música que se assistiu na Baía das Gatas, desde o Jazz, ao Funke, do Samba e o carnaval Brasileiro, a ritmos Africanos e ritmos das ilhas do Pacífico, bem como a Morna e coladeiras, tudo isto “são formas de valorização” da cultura.

É nesta linha, sublinha Jorge Santos, “que afirmei que os festivais e espetáculos nunca são a mais”.

“Quanto ao meu sentimento para com São Vicente, ilha onde vivi a minha infância e adolescência e onde fui Deputado e que nutro uma relação umbilical e familiar, insinuar maldosamente e pôr em causa esta relação quase natural, é uma monstruosidade e um contrassenso”, observou.

- PUBLICIDADES -

COMENTE ESTA NOTÍCIA

Por favor digite seu comentário!


COMENTÁRIOS: O País defende a liberdade de expressão e o debate livre de ideias. Entretanto, todos os comentários são mediados pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Advertimos, no entanto, de que os comentários devem cumprir os critérios estabelecidos pela Coordenação Editorial, nomeadamente, não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem, não ofender o bom-nome de pessoas e instituições, não conter acusações sobre a vida privada de terceiros, e não conter linguagem inadequada. Comentários que não respeitarem estes pressupostos não serão considerados.


Por favor, digite seu nome aqui