Mulher que abandonou menino no lixo vivia em condições precárias

1

Um responsável da PJ Portuguesa, disse esta manhã aos Jornalistas, em Lisboa, que a mulher não declarou estar grávida a ninguém e que, após o parto, “não deu entrada em nenhum hospital, nem em nenhum centro de saúde”

A PJ Portuguesa não confirma a identidade da mulher acusada de abandonar seu filho recém-nascido num ecoponto, em Lisboa, na passada terça-feira.

Ao contrário do que avança alguma imprensa daquele País Europeu, que refere ser uma Cabo-verdiana, a PJ diz que a identidade da mulher “não é relevante” nas investigações. Mas confirmou entretanto que a mulher de 22 anos vivia em “condições precárias na via pública”.

Entretanto, a jovem não é classificada como uma sem-abrigo e ela não tem antecedentes criminais.

O parto, na terça-feira, ocorreu na rua, perto do local onde o menino foi deixado e mais tarde encontrado por um sem abrigo.

A detenção da mulher é justificada com o fato de existir “fortes indícios” de ser ela autora de um homicídio qualificado na forma tentada.

Um responsável da PJ Portuguesa, disse esta manhã aos Jornalistas, em Lisboa, que a mulher não declarou estar grávida a ninguém e que, após o parto, “não deu entrada em nenhum hospital, nem em nenhum centro de saúde”.

Aquando da detenção, na rua, a mulher estava “sozinha, consciente”, garante a PJ que adianta que a mulher não apresentava sinais de consumo de droga, nem alterações aparentes do seu estado emocional.

Quanto ao pai da criança, o porta-voz da PJ revelou que este “não está na Cidade, nem na região”.

Refira-se que o menino de sexo masculino está sob cuidados médicos. Apesar de encontrado com sinais de hipotermia grave, com vestígios de sangue e parte do cordão umbilical, o menino está clinicamente estável.

Assim que receber alta do hospital, vai ser entregue a uma família de acolhimento que ficará com ele temporariamente até se decidir o projeto de vida da criança.

Notícia relacionada:

Cabo-verdiana acusada de abandonar recém-nascido em Lisboa

- PUBLICIDADES -

1 COMENTÁRIO

COMENTE ESTA NOTÍCIA

Por favor digite seu comentário!


COMENTÁRIOS: O País defende a liberdade de expressão e o debate livre de ideias. Entretanto, todos os comentários são mediados pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Advertimos, no entanto, de que os comentários devem cumprir os critérios estabelecidos pela Coordenação Editorial, nomeadamente, não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem, não ofender o bom-nome de pessoas e instituições, não conter acusações sobre a vida privada de terceiros, e não conter linguagem inadequada. Comentários que não respeitarem estes pressupostos não serão considerados.


Por favor, digite seu nome aqui