25 anos a marcar a diferença

1

A Juventude para a Democracia – JpD comemora no próximo dia 28, os seus 25 anos de fundação. Foi a primeira juventude partidária, da era democrática, a surgir em Cabo Verde, de forma espontânea, em 1994. Na altura um grupo de jovens do MpD decidiu dar corpo a um movimento juvenil para ajudar o partido a renovar a maioria qualificada, nas eleições de 1995. O sucesso foi tanto que o grupo entendeu formalizar a organização logo depois das eleições de 1996.

Pela JpD, já passaram milhares de jovens de Santo Antão a Brava, o que faz dela, hoje, a maior e a melhor juventude partidária em Cabo Verde. Ou se preferirmos, a maior escola de cidadania política nestas ilhas.

Os seus antigos dirigentes são hoje destacados quadros do país, empresários e aqueles que optaram por dar o seu contributo na vida política são hoje políticos de referência, como são os casos dos antigos presidentes Paulo Monteiro, Lourenço Lopes, Alcides de Pina, Fernando Elísio Freire, Miguel Monteiro e Herménio Fernandes, mas também os vices como o Dr. Olavo Correia, que para além de ser um dos fundadores desta nossa juventude foi o primeiro vice-presidente da JpD, eleito na Convenção de 1996.

Temos ainda vários outros nomes que passaram pela JpD e que são, hoje, grandes autarcas. Não vou citar nomes para não correr o risco de esquecer ninguém.

Ao longo destes 25 anos, a JpD consolidou-se como um escola de formação política de excelência. Formou uma geração que cedo aprendeu a ver as adversidades como oportunidades. E com isso, trouxe um conjunto de ideias e inovações na forma de fazer política com o uso das tecnologias e outras inovações. Exemplos disso foi a introdução de rádios online em 2011, envio de sms nas quadras festivas, ideias que foram sendo copiadas pelos adversários.

Marcamos, efetivamente, uma geração. Porém, a JpD não se limitou apenas a formar políticos profissionais. JpD formou uma geração de empreendedores, académicos, profissionais liberais e outros, que hoje orgulhosamente aplicam os ensinamentos aprendidos com os companheiros da jota.

Hoje somos uma geração que aposta na sua formação e qualificação e que reconhece a sua importância. É com este intuito que lançamos a Universidade de Verão, que este ano vai ter a sua terceira edição consecutiva. A Universidade do Poder Local já conta com duas edições e a nossa meta e levá-la para todas as ilhas.

Hoje somos uma geração que não baixa os braços, mas aquela que se reinventa.
É com esta forma de reinventar que temos estado a apresentar propostas de medidas concretas ao Governo, ao Parlamento e às Câmaras Municipais. Foi a JpD que denunciou publicamente a forma como o governo anterior do Paicv suspendeu as bonificações de juros na compra de habitação por parte dos jovens. Foi a JpD que sugeriu ao atual Governo o alargamento das bonificações até aos 35 anos. É com esta forma de reinventar que exigimos uma solução para as dívidas de centenas de jovens junto das universidades e dos centros de formação profissional, deixadas pelo governo anterior, que estão a ser solucionados.

Mais do que ser ativistas do pretexto e meros “mandadores de bocas” nas redes sociais e em conferências de imprensas, nós, na JpD, apresentamos propostas e empenhamo-nos em formar mais jovens para serem cidadãos atentes, exigentes, irreverentes e rebeldes para mudar Cabo Verde e construir um país melhor.

Contudo, para nós não basta apenas apresentamos propostas e medidas. Queremos que aquilo que idealizamos seja uma realidade.

A JpD é composta por uma geração que reconhece quem aposta na juventude e que pretende que haja um reforço continuo porque é na juventude que está o presente e o futuro de Cabo Verde.

Esta é a JOTA que, acima de tudo, tem amor pelo seu país.

Parabéns JpD!

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.