A falsa periodização na literatura cabo-verdiana

1

Bom dia, Cabo Verde!

Falei há dias com um jovem estudante universitário cabo-verdiano. Indivíduo simpático e muito bem educado. Veio logo com a estória dos “nativistas” versus claridosos.

É o que ensinam nas Universidades e revistas da praxe!

Trata-se, porém, de um tremendo disparate.

Eugénio Tavares é um nativista? Jamais! Ele é um nosso CONTEMPORÂNEO, dono de um pensamento superior, que faz inveja, pela sua qualidade, aos nossos aprendizes de literatura e demais politicantes.

Este país está cheio de clichés pseudoacadémicos, falsidades e mitos sem sustentação. Arre!

- PUBLICIDADES -

1 COMENTÁRIO

  1. Casimiro por favor me esclareca esta duvida: Os seus artigos de opiniao ha bem pouco tempo eram extensivos e com muitas citacoes. Reparei que agora as suas opinioes sao artigos diretos mas curtos. Sera que a fonte de citacoes esgotaram?
    Melhores cumprimentos

Comments are closed.