A reabertura das fronteiras e a guerrilha da desinformação

2

Como poderia Cabo Verde constar da lista da UE, se o nosso país ainda não abriu as suas fronteiras? Um dos critérios da lista de países que podem voar para a União Europeia é a reciprocidade. De lembrar que foi Cabo Verde quem fechou as fronteiras, primeiro, ao cancelar voos para a Itália e, depois, para os restantes países da UE e do mundo.

Neste momento impende a necessidade de reabrir as fronteiras e, para o fazer, Cabo Verde terá que previamente elaborar e anunciar os seus protocolos de segurança sanitária em relação a hotéis, partidas, chegadas, testes ou não, distanciamento, check-in online, controle de passaportes, etc.

A UE se abriu só aos países que já declararam a abertura das suas fronteiras e já anunciaram os seus protocolos. Por exemplo, um dos critérios de qualificação para viajar de e para a UE é ter-se, nos últimos 14 dias, um rácio de contaminação por cada 100 mil habitantes igual ou inferior ao da UE. Seguramente, Cabo Verde se qualifica nessa vertente devido às medidas tempestivamente adoptadas pelo Governo.

Cabo Verde decidiu a sua abertura para o mês de Agosto, precisamente para ter tempo suficiente de trabalhar os nossos protocolos de abertura, os protocolos para o sector do turismo e transportes, bem como os protocolos dos nossos hotéis. A boa notícia é que estes trabalhos já estão em curso.

Com sapiência e determinação vamos ultrapassar esta etapa, vamos salvar os postos de trabalhos e os rendimentos e vamos relançar o futuro. Proteger a imagem do país é um dever de TODOS os cabo-verdianos.

Assim, em nome da ética e da transparência e, com vista o combate sem tréguas às fontes de fake news que mais não logram senão prejudicar a imagem de Cabo Verde em troca de pequenos ganhos políticos, partilho abaixo o link do comunicado de imprensa emitido ontem pela UE.

https://www.consilium.europa.eu/en/press/press-releases/2020/06/30/council-agrees-to-start-lifting-travel-restrictions-for-residents-of-some-third-countries/

2 COMENTÁRIOS

  1. Há muita confusão. A verdade é muito simples.

    A UE anunciou uma lista de 15 países terceiros cujos cidadãos podem entrar no espaço Schengen para férias (visto de curta duração). Cabo Verde não está nesta lista e não estará nesta lista até que a taxa semanal de novas infecções seja inferior a 20 por 100.000 habitantes. Neste momento, nossa taxa semanal de novas infecções é de 59,6. O critério não tem nada a ver com o fato de nossas fronteiras estarem abertas ou fechadas. Ainda temos um longo caminho a percorrer para alcançar uma taxa de infecção aceitável para viagens à Europa de férias. O CCV só aceita pedidos de visto de curta duração quando a UE permitir que vistos sejam emitidos a cidadãos cabo-verdianos.

    Por outro lado, para vistos de longa duração emitidos pela Embaixada de Portugal, é Portugal quem determina quais países podem entrar em Portugal com esses vistos de residência. Portugal já disse que cidadãos de todos os países da CPLP poderão viajar para Portugal. Basta visitar o site da Embaixada de Portugal na Praia para ver quais vistos de residência serão considerados.

    Não há razão para toda essa confusão. O problema é que ninguém na autoridade faz nenhuma pesquisa. Esta informação é facilmente encontrada no site da Schengen, no site da Embaixada de Portugal e no site da CCV. Você simplesmente tem que ler.

  2. Meu caro,
    O critério para entrada na UE para países estrangeiros é de 16/100.000 em 14 dias (Valor referencia 15junho). Cabo Verde tendo +-500.000 habitantes, 453 novos casos nos últimos 14 dias. Fazendo as contas dá um valor de +-90/100.000.
    Ainda assim afirma que Cabo Verde “qualifica nesta vertente”?

Comments are closed.