Afaste de nós satanás!

3

Quem se habitua a dizer que tudo está mal, tudo está negro e que Cabo Verde não presta para nada, não pode ver ou reconhecer os avanços registados em Cabo Verde. O implante de um “pacemaker” no coração é um excelente exemplo. A sabedoria e o esforço que se vê no combate ao coronavírus no nosso país, é um outro grande exemplo.

É um facto que as estruturas de saúde e o governo de Cabo Verde estão a combater o coronavírus com muito sucesso. Devido à condição e os fracos recursos do país, a situação podia ser de pânico e de extermínio! Nada disso aconteceu. Parabéns pela resistência e trabalho feito.

O ataque do coronavírus não foi música e foi a pior situação que aconteceu em Cabo Verde desde a independência.

Em Março faz um ano que se trava a luta com este inimigo, que golpeia as pessoas e mata, sem qualquer aviso ou sinal.

A oposição está sendo leviana!

3 COMENTÁRIOS

  1. Sim de acordo, durante esse terrível pandemia muitos ou mesmo a maioria dos países esqueceram de de fazer oposição e passaram todos os lado do poder executivo e legislativo no combate à Codiv-19.
    Entretanto, onde existem de taxa rasa não escolhe o melhor para o País então atacam a tudo e todos como de fossem a tábua de salvação.
    Fazem sempre a política da terra queimada…em foi sempre a assim com essa gentinha arrogante nunca aprende nada. Com a desgraça não se devia brincar.

  2. Seria verdadeiramente lamentável que pequenos detalhes conduzissem a um resultado negativo a 18 de Abril. Por exemplo, o situação da Cabo Verde Airlines. O PCA da empresa tem lá um Administrador que quer fazer o MpD perder as eleições hostilizando tudo e todos. O Antolivio julga que a empresa pertence a ele e aos amigo, com benção dos islandeses. E o Governo sabe de tudo. Um dia a bomba rebenta e o Governo talvez se queime perante a todos os Cabo verdianos, mesmo os militantes e amigos do MpD.

  3. Eu acredito na sabedoria, sensatez e maturidade política do povo de Cabo Verde, razão pela qual a vitória do MPD nas próximas legislativas é certa, se este Partido fizer bem o seu trabalho durante o período de campanha, que se aproxima. O PAICV vai querer comparar, em termos de resultados, os seus 15 anos de governação do país (2001 a 2016), com os 5 anos de governação do MPD (2016 a 2021). O PAICV vai aproveitar a situação causada pela pandemia e pelos anos consecutivos de seca, para tirar proveito político e ganhar votos. O PAICV vai pôr a tónica no alegado aumento da pobreza, das desigualdades sociais, do desemprego, etc, todos fenómenos universais que se explicam claramente pela globalização da Covid- 19, para convencer os eleitores de que, em Cabo Verde, esses fenómenos nada têm a ver com a pandemia, nem com os anos de seca, mas sim com a “desgovernação” do MPD, como aliás tem sido o seu discurso nos últimos tempos. Os esforços de governação do MPD durante esse período atípico, nunca dantes visto em Cabo Verde desde a independência, serão completamente ignorados pelo PAICV. A falta de seriedade política e de honestidade intelectual nos discursos do PAICV é tão gritante, que um deputado seu chegou mesmo a pedir contas ao Governo do MPD, em sessão parlamentar, pelo célebre massacre de Monte Tchota, facto que aconteceu, como todo o mundo sabe, no dia seguinte à tomada de posse do Governo de MPD em abril de 2016! Portanto, não será certamente surpresa para ninguém o maquiavelismo habitual, os truques, as mentiras e a fraude, como arma política de que o PAICV se vai socorrer para voltar ao poder. Para o PAICV o fim justifica os meios.

Comments are closed.