Amadeu Oliveira expulso de sala de audiência

3

Em causa está a insistência do arguido em protestar contra as decisões da juiza durante a audiência desta terça-feira. Advogados de defesa também abandonaram a sala

          

O advogado e agora arguido num processo de que é acusado de 14 crime de injúrias contra magistrados do Supremo Tribunal da Justiça, Amadeu Oliveira foi hoje expulso da sala de audiências, neste segundo dia do seu julgamento.

De acordo com informações chegadas ao OPAÍS.cv, em causa está o fato de o arguido se ter protestado várias vezes contra a decisão da Juiza Ivanilda Mascarenhas Varela, durante a audiência de hoje.

Ontem, a defesa contestou a competência da Juiza em julgar o processo, até porque a magistrada, segundo alega o arguido, tem um processo pendende no Conselho Superipor de Magistratura Judicial, por violação de processo.

Hoje, no reinício da audiência, os advogados de defesa de Amadeu Oliveira pediram a palavra para poderem apresentar um recurso logo na sua primeira intervenção, mas a Juiza decidiu passar a palavra ao assistente, o que desagradou Amadeu Oliveira, que protestou várias vezes essa decisão da Juiza, até ser expulso da sala.

A defesa por conseguinte abandonou a sala, porque a Juiza insistiu em passá-la a palavra só depois de ouvir o assistente. Entretanto, mais tarde Amadeu Oliveira teve de regressar à sala de audiências, e foi questionado pela Juiza Ivanilda Varela se queria mudar de advogados, e respondeu que quer mudar de Juiza e não ser julgado por “uma Juiza suspeita”.

A Agência Inforpress, escreve que todos os presentes na sala tiveram também de ser expulsos, porque o barrulho era intenso, e ficou dentro só as partes, nomeadamente, os assistentes, defesa e o arguido.

3 COMENTÁRIOS

  1. Está provado. As manobras dilatórias irão continuar até o julgamento ser adiado e depois até a prescrição. Entretanto, sectores da oposição, com o SOKOLS à frente estão a passar a ideia que tudo isso tem o envolvimento do Governo, aquém acusam de manipular todo o sistema judicial. Outros, francamente anarquistas, como um escritor conhecido, querem que haja convulsões neste país. Atacar a justiça é um grande passo para a anarquia.

  2. É primeira vez que estou em total desacordo com a Sra. Juíza deste caso. Expulsar Amadeu da sala não resolve o problema de indisciplina na sala de audiências, até porque, sem ele e seus advogados não julgamento. A menos que seja permitido um julgamento por contumácia. Nos anexos ao Tribunal Criminal da Praia existe um calabouço para presos, arguidos ou membros da assistência que reiteradamente, com seu comportamento, perturbem ordem ou desrespeitem a autoridade do Juiz na sala de audiências. Portanto, ao invés de expulsão, a esta altura Amadeu deveria estar a habitar um dos calabouços do TC da Praia.

  3. A (i)lógica dos advogados do Amadeu é facilmente é desmontada, até por uma criança da Escola Primária. Juíza alegadamente com processo, sem que seja provada a sua culpa, não pode julgar o Amadeu. Porreiro! Já o Amadeu com processo crime, por injuria e difamação pode defender um acusado, que até já condenado em primeira instância. Tem toda a razão a meritíssima ao questionar o Amadeu se desejava mudar de advogados. É que com esses actuais advogados, a defesa do Amadeu está seriamente comprometida e Amadeu já conta os dias para mudar de residência: de Palmarejo para São Martinho Pequeno.

COMENTE ESTA NOTÍCIA

Por favor digite seu comentário!


COMENTÁRIOS: O País defende a liberdade de expressão e o debate livre de ideias. Entretanto, todos os comentários são mediados pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Advertimos, no entanto, de que os comentários devem cumprir os critérios estabelecidos pela Coordenação Editorial, nomeadamente, não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem, não ofender o bom-nome de pessoas e instituições, não conter acusações sobre a vida privada de terceiros, e não conter linguagem inadequada. Comentários que não respeitarem estes pressupostos não serão considerados.


Por favor, digite seu nome aqui