Bispo de Santiago visita reabilitação da Igreja de Nossa Senhora da Luz

0

Cardeal Arlindo Furtado esteve em São Domingos e mostrou- se satisfeito com o andamento dos trabalhos e pela sua minuciosidade

O Cardeal Dom Arlindo Furtado visitou ontem, sexta-feira, as obras em curso de reabilitação da Igreja de Nossa Senhora da Luz, em São Domingos, tendo sido recebido pelos representantes do IPC, ICV, Ministério das Infraestruturas e pelo Edil de São Domingos.

Dom Arlindo Furtado que se fez acompanhar da Comissão Diocesana para Reabilitação do Património Religioso, inteirou-se do andamento das obras e mostrou-se satisfeito com o que viu e lhe foi informado.

As obras daquela Igreja iniciaram-se há cerca de um mês, e a equipa liderada pela empresa vencedora do concurso apresentou ao Bispo, o ponto da situação das obras, bem como as possíveis modificações que a obra sofrerá. “Até o momento retirou- se o arranjo e anexo exterior criado nos finais da década de 80. Este passará a conter apenas o piso inicialmente criado, revestido por uma faixa de pedra calcária e o restante basalto” explicou a referida empresa, acrescentando que removeu-se também o antigo revestimento da Igreja que será agora substituída por argamassa e cal.

Entre outras modificações, além da reabilitação integral do edifício, prevê-se a reabilitação em torno dele e criação de canteiros à volta da Igreja.

A também conhecida “Igreja de Alcatraz”, é um espaço de “peregrinação por excelência”, e integra a lista dos edifícios contemplados para reabilitação no âmbito do Plano Nacional de reabilitação do património histórico e religioso, traçado pelo Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, através do IPC, e é financiada inteiramente pelo Governo, através do PRRA, em cerca de 18 mil contos.

- PUBLICIDADES -

COMENTE ESTA NOTÍCIA

Por favor digite seu comentário!


COMENTÁRIOS: O País defende a liberdade de expressão e o debate livre de ideias. Entretanto, todos os comentários são mediados pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Advertimos, no entanto, de que os comentários devem cumprir os critérios estabelecidos pela Coordenação Editorial, nomeadamente, não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem, não ofender o bom-nome de pessoas e instituições, não conter acusações sobre a vida privada de terceiros, e não conter linguagem inadequada. Comentários que não respeitarem estes pressupostos não serão considerados.


Por favor, digite seu nome aqui