Cabo Verde conta com China para desenvolver projetos estruturantes

0

Garantia do Vice-Primeiro-Ministro na abertura da 6.ª Conferência Ministerial do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre China e CPLP, em Macau

Olavo Correia ressaltou que este fórum é um momento crucial para fortalecer os laços entre Cabo Verde e a China, identificando áreas prioritárias para futuros investimentos.

Entre elas, o também Ministro das Finanças destacou o setor da economia azul, turismo, transição energética, economia verde, transição digital, reforço do capital humano, setor privado e conetividades.

O governante enfatizou a necessidade de um “verdadeiro” compacto para o desenvolvimento de Cabo Verde, alinhado com o Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável do País.

O VPM delineou uma série de objetivos para este compacto, incluindo acelerar a transição energética, garantir acesso à energia, água e saneamento, promover segurança alimentar, investir na agricultura, promover segurança sanitária, construir e gerir o Hospital Nacional de Cabo Verde, e acelerar a transição digital através da construção de um Centro de Inteligência Artificial e investimento em infraestrutura digital.

Olavo Correia expressou o desejo de ver a China participar ainda do programa de conversão da dívida externa em investimentos no clima, edificação da estrada Praia/Tarrafal e o aeroporto de Porto Novo, investir nas acessibilidades e mobilidades, desenvolver a economia azul, desenvolver o Cabo submarino de fibra Ótica Amílcar Cabral e uma solução para os transportes marítimos na CEDEAO bem como promover a integração de Cabo Verde na sub-região da CEDEAO.

“Queremos ver empresas Chinesas em Cabo Verde, de todas as dimensões e em todos os setores e queremos ver turistas Chineses em Cabo Verde”, ajuntou.

O VPM concluiu seu discurso enfatizando a importância da parceria entre Cabo Verde e a China, afirmando que ambos precisam um do outro para alcançar os objetivos de desenvolvimento delineados.

“Este é o compacto transformativo que precisamos para Cabo Verde e a China não pode faltar a este chamamento. Nós precisamos da China e a China de nós”, enfatizou.