Cabo Verde e Luxemburgo assinam cinco programas de cooperação

1

Anúncio foi feito hoje pelo Governo, sublinhando que esses programas estão avaliados em 53 milhões de Euros, e devem ser implementados no País até 2025

O Governo, através do Ministério dos Negócios Estrangeiros, anunciou hoje, num comunicado que, no âmbito da 21.ª reunião anual da Comissão de Parceria entre Cabo Verde e Luxemburgo, que teve lugar em 12 de janeiro de 2022, e que permitiu encerrar o Quarto Programa Indicativo de Cooperação (PIC IV 2016-2020), os dois países assinaram cinco programas de cooperação avaliados em 53 milhões de Euros.

De acordo com a mesma fonte, esses programas, assinados, nas áreas de emprego e empregabilidade (17,5 milhões de Euros), finanças inclusivas (1,5 milhões de Euros), transição energética (12 milhões de Euros), ação climática (10 milhões de Euros) e água e saneamento (12 milhões de Euros), devem ser implementados no País até 2025.

Esta reunião anual decorreu no Luxemburgo e foi presidida, pela parte Cabo-verdiana, pelo Ministro dos Negócios Estrangeiros, Cooperação e Integração Regional, Rui Figueiredo Soares, e pelo m«Ministro da Cooperação e Ação Humanitária do Luxemburgo, Franz Fayot. Integraram ainda a delegação os Ministros da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, e da Indústria, Comércio e Energia, Alexandre Monteiro, bem como os Ministros do Ambiente, Clima e Desenvolvimento Sustentável, Carole Dieschbourg e da Energia, Claude Turmes, ambos do Luxemburgo.

As relações de cooperação entre Cabo Verde e o Luxemburgo datam dos finais da década de 1980 e, em 1993, Cabo Verde tornou-se um País parceiro privilegiado da Cooperação Luxemburguesa, após a assinatura, a 3 de agosto de 1993, de um primeiro Acordo Geral de Cooperação, que definiu o quadro geral das atividades de cooperação, entre os dois países, nos domínios cultural, científico, técnico, financeiro e económico.

Desde 1999 realizam-se anualmente — na Praia e no Luxemburgo, alternadamente — Comissões de Parceria entre os dois países.

Em janeiro de 2002, os dois países assinaram um primeiro Programa Indicativo de Cooperação (PIC) por um período de quatro anos (2002- 2005), o qual contribuiu para um aumento da coerência, da flexibilidade e da sustentabilidade nas relações de cooperação.

Devido à pandemia de Covid-19, o quarto PIC foi alargado para 2021 e em junho de 2020, os dois países assinaram o quinto programa de cooperação, estimando um apoio financeiro ao Arquipélago de 78 milhões de Euros, um aumento de 20 milhões face ao programa anterior.

1 COMENTÁRIO

  1. A contrastar com o enorme zumbido, propaganda e todo o bla-bla-bla em torno da “gordurosa” visita presidente da República a Luanda, onde o dignitário chegou a entrar em direto nos jornais noticiosos do País, a discrição do “método Ulisses” mostrou ser o único que gera resultados para CaboVerde. Contra os faustosos anúncios, contra as visitas aos museus, contra os discursos, contra a visita a Escola de Administração de Luanda, o Novo PIC com Luxemburgo vale a Cabo Verde 53 milhões de Euros.

Comments are closed.