Cabo Verde e Portugal reforçam parcerias em vários domínios

0

Ulisses Correia e Silva recebeu hoje o homólogo Português. Cabo Verde é o primeiro País fora da União Europeia visitado por Luís Montenegro

Durante o encontro, na Cidade da Praia, o Primeiro-Ministro, Ulisses Correia e Silva, realçou o compromisso mútuo de reforçar as relações entre os dois países.

“Reafirmamos o nosso interesse em reforçar parcerias, não só a nível global, mas também nas nossas prioridades específicas, como o desenvolvimento do capital humano, a transição energética, a estratégia da água, economia azul e digital e a segurança marítima”, o PM Cabo-verdiano.

Ulisses Correia e Silva discutiu com Luís Montenegro o interesse em aumentar o investimento direto estrangeiro Português em Cabo Verde, com enfoque em áreas como turismo, indústria, transformação digital e transição energética.

“Mostramos também interesse no investimento direto estrangeiro que já tem, uma participação importante na economia Cabo-verdiana, mas há espaço, desejo e condições de reforçar ainda mais essa parceria económica empresarial”, salientou.

O Chefe do Governo revelou que durante a realização da cimeira entre os dois países, que deverá acontecer em Portugal, a 19 de novembro, será realizado um fórum de investimentos abrangente em diversas áreas desde turismo, indústria, transformação digital e transição energética.

Por sua vez, Luís Montenegro destacou o compromisso de Portugal em converter a dívida em investimentos de créditos climáticos, afirmando que é uma questão que o seu País quer cumprir, avaliar e projetar para um novo ciclo pós-2025. “Quero, em nome do Governo Português, assumir esse compromisso”, enfatizou.

Relativamente ao protocolo que hoje foi firmado entra as duas Nações, Montenegro sustentou ser importante porque dá corpo a uma ajuda que Portugal empresta ao orçamento de Cabo Verde e isto significa uma ajuda adicional. “Este protocolo foca nos mais jovens, nas mulheres e em aqueles que têm dificuldade em potenciar a sua capacidade criadora”, sustentou.

Luís Montenegro também expressou o compromisso de Portugal em melhorar os mecanismos de mobilidade dos cidadãos entre os dois países, visando facilitar a emissão de vistos com maior rapidez e transparência.

“Queremos, naturalmente, que estes mecanismos possam ter uma consumação, a nível da emissão de visto com maior rapidez e tentaremos, nos próximos meses, dar cobertura ao desejo que as pessoas têm de não estarem nas mãos de processos menos lícitos e intransparentes”, afirmou.