Cabo Verde encerra projeto de Apoio à Mobilidade Africana

0

Vice-Primeiro-Ministro destaca importância do projeto e reforça colaboração com a União Europeia

Olavo Correia, que presidiu hoje, ao ato de encerramento assegurou que o projeto Aliança de Apoio à Mobilidade Africana (SAAM) corresponde aos objetivos do Governo de capacitar os recursos humanos para que possam estar preparados em diversos domínios.

“Queremos continuar com este projeto com a União Europeia no sentido de trabalharmos para que Cabo Verde possa ser de fato um hub de formação, um centro de excelência para o continente e o mundo quer com a União Europeia e com os vários conselhos bilaterais como Luxemburgo, Portugal mas também o Banco Mundial”, frisou.

Conforme o Ministro das Finanças , os jovens têm de estar preparados para enfrentar o mercado mundial e exercer a profissão com dignidade.

“Vamos aumentar cada vez mais estas oportunidades para que os jovens de todas as ilhas de Cabo Verde possam ter acesso a uma formação profissional de qualidade para Cabo Verde, mas também para qualquer País do mundo”, disse.

De acordo com Olavo Correia, é “impensável” ter uma perspetiva de futuro sem olhar para a diáspora, lembrando que as remessas dos imigrantes representam 20% do PIB anual, e 60% de todos os depósitos vêm também dos imigrantes.

Por seu turno, a Coordenadora do projeto, Beatriz Billit, fez uma avaliação positiva dos quatro anos do SAAM (2020-2024), realçando que foram realizadas diversas atividades em Cabo Verde, ressaltando que o intuito é transformar o programa em Erasmus +.

O projeto, que foi financiado pela Comissão Europeia, teve como propósito promover a mobilidade internacional de estudantes, formadores e dirigentes Africanos melhorando a qualidade da formação ministrada nesses países assim como garantir a inserção dos jovens no mercado de trabalho.