Cabo Verde vai pedir perdão da dívida e subvenções aos parceiros internacionais

1

Anúncio foi feito esta quarta-feira, 24, pelo PM, durante sua intervenção no debate sobre “Medidas emergenciais pós-estado de emergência para as famílias e empresas”

Ulisses Correia e Silva indicou que o Orçamento Geral de Estado para o ano económico de 2021 vai contemplar “medidas de recuperação da economia”, alinhadas com a Agenda Estratégica de Desenvolvimento Sustentável, face às consequências económicas no País.

O PM referiu-se ao que considera ser um “instrumento de diálogo e concertação” com os parceiros internacionais, visando obter o “perdão da dívida e subvenções” que permitam a Cabo Verde dotar-se de meios e condições para trilhar o “difícil caminho” do desenvolvimento sustentável a longo prazo.

“Este é o momento que interpela toda a Nação Cabo-verdiana. É o momento mais importante da vida da Nação Cabo-verdiana e estamos conscientes e firmes de que iremos vencer”, vincou na sua intervenção.

UCS recordou que antes da pandemia, em março, a economia mundial “estava a crescer” tal como em Cabo Verde, com o ano de 2019 a fechar com um crescimento a rondar os 5,7%, num quadro de estabilidade macroeconómica e de confiança e num contexto difícil de três anos de seca severa e maus anos agrícolas.

A Covid-19 “alterou profundamente” o contexto internacional e nacional através de impactos intensos, globais, rápidos e de incertezas quanto ao futuro. “Estamos perante uma crise sanitária, económica e social grave, a nível mundial, sem precedentes. Não é mais uma crise. É a crise. É preciso que todos estejam conscientes disso”, advertiu o PM, para quem a recessão económica mundial “é um facto e é diferente” sendo “muito mais forte e impactante”, pois faz “cair bruscamente”, num só ano, a riqueza da grande maioria dos países.

Ainda pode ler:

Covid-19. Governo anuncia “novas medidas” para facilitar retoma e recuperação da atividade empresarial

1 COMENTÁRIO

  1. Sr. Primeiro-ministro, por favor, antes de pedir o perdão da dívida de Cabo Verde ao Banco Mundial, FMI, União Europeia e demais credores de Cabo Verde, vamos combinar algumas providências práticas: pedir ao Paicv que autorize umas ‘fériazinhas’ para a JHA, mas de preferência bem longe daqui, em Cancum, no México, com tudo pago, vamos fazer uma “vaquinha”. Nenhum País que peça o perdão da sua dívida, deve ter uma candidata a Primeiro-ministro a solicitar aumentos salariais.

Comments are closed.