Cabo Verde valoriza “imenso” avaliação da Freedom House sobre direitos políticos e civis

0

Chefe do Governo destaca reconhecimento que aquela organização internacional faz do País especialmente num contexto global “conturbado, marcado por um aumento de populismos e extremismos”

A partir de Lisboa onde se encontra a participar numa jornada de promoção internacional do País, na Bolsa de Turismo de Lisboa, o Primeiro-Ministro recebeu, com satisfação, a avaliação que a Freedom House faz do Arquipélago, em matéria de direitos políticos e civis.

Ulisses Correia e Silva assinala que Cabo Verde valoriza “imenso” esta avaliação, acentuando ser um reconhecimento feito num contexto global “conturbado, marcado por um aumento de populismos e extremismos”.

“Valorizamos imenso esta posição”, disse, expressando, assim, satisfação pelo fato de Cabo Verde voltar a ser considerado o País mais livre de África, com uma pontuação de 92 em 100 possíveis.

“Numa altura em que o próprio relatório assinala um declínio na liberdade na Europa e, pelo décimo ano consecutivo, uma redução da liberdade em África, Cabo Verde mantém-se firme na sua posição de destaque, integrando o restrito grupo de países considerados livres”, congratula-se o PM, para quem, este posicionamento do País neste relatório da Freedom “é um incentivo” para se continuar a cuidar, proteger e aprimorar a democracia.

Nota-se que hoje foi divulgado que Cabo Verde é o País mais livre em África, e que nos direitos políticos, obteve 38 pontos dos 40 possíveis e no que tange às liberdades civis, conta com 54 dos 60 pontos possíveis.