Cabo-verdiano Djodje diz-se vítima de burla na Guiné-Bissau

3

Show com casa cheia, num Estádio de futebol, financiado pelo próprio artista, não teve retorno financeiro. Djodje diz que foi vítima de burla e humilhação

O show na Guiné-Bissau, terra da sua mãe, tinha tudo para ser um “sonho”, pois é a primeira vez que se deslocou àquele País depois de 28 anos, mas tudo acabou por se tornar “num verdadeiro pesadelo”.

Segundo o próprio artista, ele e a sua produtora Broda Music foram enganados, burlados e humilhados na Guiné-Bissau. É que, conforme conta num vídeo publicado nas redes sociais, no recinto do show estavam entre 40 a 45 mil pessoas, mas no momento de fechar as contas nem 10% dos bilhetes originais foram vendidos, ou seja os restantes eram falsos.

“Montamos todo o sistema de segurança de controlo das pulseiras para o acesso e todas as pessoas no local do show tinham as pulseiras, mas o que se passou é que elas eram falsas”, enfatizou Djodje.

Os prejuízos foram enormes, contou, uma vez que todos os investimentos, foram feitos por ele e a sua produtora.

Entretanto, finalizou, que a única coisa boa que leva da Guiné-Bissau é o carinho do povo Guineense e pediu investigação das autoridades para que o culpado seja responsabilizado.

 

3 COMENTÁRIOS

  1. Infelizmente Djodje isso é para esquecer. Num país onde nem se investiga fraudes nas eleições, corrupção no Governo, ou tentativas de golpe de Estado, as autoridades vão investigar isso? Devem até estar a rir-se da tua cara.

  2. Infelizmente Djodje isso é para esquecer. E, infelizmente aconteceu contigo. É de lamentar. Mas, num país onde nem se investiga fraudes nas eleições, corrupção no Governo, ou tentativas de golpe de Estado, assassinatos encomendados de políticos da oposição, ou cidadãos que denunciam desmandos do governo, achas que as autoridades vão investigar isso? Devem até estar a rir-se da tua cara.

  3. Por estas e outras razões que muitos caboverdianos sequer querem ouvir falar dos nossos vizinhos e muito menos fazer negócios com eles.

Comments are closed.