Chuva em abundância, liderança e sentido do bem-comum

2

Mensagem forte, corajosa e apropriada do Primeiro-Ministro, Ulisses Correia e Silva, recordando-nos, com as belas palavras do romancista Manuel Lopes, que “…estrago de chuva é conserto de homem”. Nem mais.

          

O cabo-verdiano é resistente e sabe vencer as adversidades da vida. Esta tem sido, digamos, a SUBSTÂNCIA da nossa História.

Em 1755 um violento terremoto, seguido de um tsunami, destruiu grande parte da cidade de Lisboa. Morreram cerca de 10 mil pessoas.

Os portugueses deixaram-se abater perante essa desgraça?

Não, RECONSTRUÍRAM pacientemente Lisboa, com mais arte e engenho, sob a competente orientação administrativa do Marquês de Pombal.

Hoje, Lisboa é essa cidade aprazível que conhecemos, com um elevado índice de qualidade de vida, dos mais altos da Europa.

Os homens e as mulheres vêem-se nas horas difíceis.

Mostremos a nossa fibra, a nossa grandeza de alma.

Façamos um Cabo Verde melhor e mais desenvolvido. Somos capazes.

Temos capital humano, cuja importância foi tão bem realçada por pensadores como Alfred Marshall, Gary Becker ou T. Schultz.

Que a graça de Deus nos proteja a todos.

2 COMENTÁRIOS

  1. Não é preciso recorrer constantemente á figura do colono para ressuscitar a alma do cabo-Verdiano. temos exemplos que bastem na nossa história.Podemos sim seguir bons exemplos sem nos sentirmos apoucados.
    Sobrevivemos a fomes cíclicas, sobrevivemos ao colonialismo; sobrevivemos à escravatura, sobrevivemos ao partido único, sobrevivemos às várias cheias que tem assolado o País e que não é nada de novo, sempre convivemos com as cheias. Também iremos sobreviver a esta e a outras mazelas que possam vir. Temos é que ser orgulhosos, briosos, organizados, e sobretudo aprender com os nossos erros. Temos fibra de vencedor

    • É uma grande verdade: a distância (moral) que separa o actual Primeiro-ministro de Cabo Verde e a sua principal adversária e pretendente ao posto, pelo paicv é abismal. Não há como comparar a baderna e vulgaridade da Janira com o huminismo do Ulisses Silva na condução dos destinos de Cabo Verde que tem a sorte de ter o Ulisses no comando dos rumos da Nação e ter Janira confortavelmente na oposição. Para o paicv a falta de chuva é culpa do Ulisses e do eleitorado que não votou paicv / mas as chuvas torrenciais é culpa do Ulisses e do eleitorado que não votou paicv / a Covid é culpa do Ulisses e da eleitorado que não votou paicv / o atraso do carro do lixo na recolha do lixo é culpa do Ulisses e do eleitorado que não votou paicv / o atraso da professora, do autocarro, do bombeiro, do avião, do barco, da ambulância, do táxi é culpa do Ulisses e do eleitorado que não votou paicv / o atraso do padre, do sacristão, o curto circuito da Electra é culpa do Ulisses e do povo que votou contra o paicv. As barragens não receberam água três anos e não encheram é culpa do Ulisses e do povo malagradecido. Mas a barragem encheu e transbordou é culpa do Ulisses e do povo malagradecido. Não há peixe, carne e leite é culpa do Ulisses e do povo malagradecido. Mas há leite, ovo, pão, carne e manteiga em abundância é tudo culpa do Ulisses e do povo malagradecido. Tem problemas nos esgotos é a culpa do Ulisses e do povo malagradecido. Faltou broche, shampoo, creme, perfume lá em casa da Janira é culpa do Ulisses e do povo malagradecido. Passou o prazo na única lata de atum, no iogurte, no queijo, no fiambre e no salame do do mês na casa da madame é tudo culpado Ulisses e do povo. Prenderam o Saab é culpa do Ulisses por alegados crimes contra a América é tudo culpa do Ulisses e do povo malagradecido. Crioulos viajam até America latina em negócios é tudo culpa do Ulisses e deste povo. Por fim, não vejo a empregada, terminou a comidinha do cachorrinho e do papagaio da madame é tudo culpa do Zé Ulisses e desse povo ‘safado’ que votou MpD.

COMENTE ESTA NOTÍCIA

Por favor digite seu comentário!


COMENTÁRIOS: O País defende a liberdade de expressão e o debate livre de ideias. Entretanto, todos os comentários são mediados pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Advertimos, no entanto, de que os comentários devem cumprir os critérios estabelecidos pela Coordenação Editorial, nomeadamente, não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem, não ofender o bom-nome de pessoas e instituições, não conter acusações sobre a vida privada de terceiros, e não conter linguagem inadequada. Comentários que não respeitarem estes pressupostos não serão considerados.


Por favor, digite seu nome aqui