Chuva em abundância, liderança e sentido do bem-comum

2

Mensagem forte, corajosa e apropriada do Primeiro-Ministro, Ulisses Correia e Silva, recordando-nos, com as belas palavras do romancista Manuel Lopes, que “…estrago de chuva é conserto de homem”. Nem mais.

          

O cabo-verdiano é resistente e sabe vencer as adversidades da vida. Esta tem sido, digamos, a SUBSTÂNCIA da nossa História.

Em 1755 um violento terremoto, seguido de um tsunami, destruiu grande parte da cidade de Lisboa. Morreram cerca de 10 mil pessoas.

Os portugueses deixaram-se abater perante essa desgraça?

Não, RECONSTRUÍRAM pacientemente Lisboa, com mais arte e engenho, sob a competente orientação administrativa do Marquês de Pombal.

Hoje, Lisboa é essa cidade aprazível que conhecemos, com um elevado índice de qualidade de vida, dos mais altos da Europa.

Os homens e as mulheres vêem-se nas horas difíceis.

Mostremos a nossa fibra, a nossa grandeza de alma.

Façamos um Cabo Verde melhor e mais desenvolvido. Somos capazes.

Temos capital humano, cuja importância foi tão bem realçada por pensadores como Alfred Marshall, Gary Becker ou T. Schultz.

Que a graça de Deus nos proteja a todos.

2 COMENTÁRIOS

  1. Não é preciso recorrer constantemente á figura do colono para ressuscitar a alma do cabo-Verdiano. temos exemplos que bastem na nossa história.Podemos sim seguir bons exemplos sem nos sentirmos apoucados.
    Sobrevivemos a fomes cíclicas, sobrevivemos ao colonialismo; sobrevivemos à escravatura, sobrevivemos ao partido único, sobrevivemos às várias cheias que tem assolado o País e que não é nada de novo, sempre convivemos com as cheias. Também iremos sobreviver a esta e a outras mazelas que possam vir. Temos é que ser orgulhosos, briosos, organizados, e sobretudo aprender com os nossos erros. Temos fibra de vencedor

    • É uma grande verdade: a distância (moral) que separa o actual Primeiro-ministro de Cabo Verde e a sua principal adversária e pretendente ao posto, pelo paicv é abismal. Não há como comparar a baderna e vulgaridade da Janira com o huminismo do Ulisses Silva na condução dos destinos de Cabo Verde que tem a sorte de ter o Ulisses no comando dos rumos da Nação e ter Janira confortavelmente na oposição. Para o paicv a falta de chuva é culpa do Ulisses e do eleitorado que não votou paicv / mas as chuvas torrenciais é culpa do Ulisses e do eleitorado que não votou paicv / a Covid é culpa do Ulisses e da eleitorado que não votou paicv / o atraso do carro do lixo na recolha do lixo é culpa do Ulisses e do eleitorado que não votou paicv / o atraso da professora, do autocarro, do bombeiro, do avião, do barco, da ambulância, do táxi é culpa do Ulisses e do eleitorado que não votou paicv / o atraso do padre, do sacristão, o curto circuito da Electra é culpa do Ulisses e do povo que votou contra o paicv. As barragens não receberam água três anos e não encheram é culpa do Ulisses e do povo malagradecido. Mas a barragem encheu e transbordou é culpa do Ulisses e do povo malagradecido. Não há peixe, carne e leite é culpa do Ulisses e do povo malagradecido. Mas há leite, ovo, pão, carne e manteiga em abundância é tudo culpa do Ulisses e do povo malagradecido. Tem problemas nos esgotos é a culpa do Ulisses e do povo malagradecido. Faltou broche, shampoo, creme, perfume lá em casa da Janira é culpa do Ulisses e do povo malagradecido. Passou o prazo na única lata de atum, no iogurte, no queijo, no fiambre e no salame do do mês na casa da madame é tudo culpado Ulisses e do povo. Prenderam o Saab é culpa do Ulisses por alegados crimes contra a América é tudo culpa do Ulisses e do povo malagradecido. Crioulos viajam até America latina em negócios é tudo culpa do Ulisses e deste povo. Por fim, não vejo a empregada, terminou a comidinha do cachorrinho e do papagaio da madame é tudo culpa do Zé Ulisses e desse povo ‘safado’ que votou MpD.

Comments are closed.