CLEU CARDOSO: Músico Cabo-verdiano é referência no Mundo da música nos EUA

2

O jovem músico já produziu vários artistas de renome, com destaque para Grace Évora, no seu álbum 2069, no qual tem também duas composições, mas vários outros nomes já foram produzidos por ele

Ao OPAÍS, Cleu Cardoso sublinha que desde sempre gostou da música. Nascido na ilha do Fogo, cedo saiu da terra do Vulcão em direção à Cidade do Monte Cara, para mais tarde se dirigir a São Nicolau e Sal. O músico é engenheiro de som, e de software, profissão que abraçou há 12 anos, nos Estados Unidos da América.

OPAÍS – Quem é Cleu Cardoso?

Cleu Cardoso: Sou um músico/compositor/produtor/engenheiro de som Cabo-verdiano que vive nos Estados Unidos de América.

Nasci na ilha do Fogo, mas muito cedo viajei para São Vicente onde fixei residência, depois mudei-me para São Nicolau onde estive algumas temporadas e mais tarde para a ilha do Sal.

Quando começaste no mundo da Música?

Comecei na música em 2002, inicialmente como teclista. Mais tarde passei a produzir alguns artistas, sobretudo com mixtapes, e acompanhando-os, em alguns shows. Com o tempo fui crescendo no mercado e a partir daí surgiram várias oportunidades de acompanhar, tanto no palco, como também nos estúdios, vários artistas de renome, como Mel, Grace Évora, Zé Carlos, Jorge Neto, Zé Delgado, Gil Semedo, Dina Medina, Mika Mendes, Gilyto, Tatiana, Jota Grande, Denis Graca, Roger, Vargas, Zé Galvão, Calu Bana, Juceila, Isidora, de entre outros. É bom realçar que fui o membro-fundador dos grupos New Face e Ban D’Agu Boyz.

Quem é que lhe inspira?

Minha inspiração para escrever vem sempre de momentos vividos, principalmente vividos por mim e pelas pessoas que me rodeiam. Oiço sempre vários estilos musicais, nacionais e internacionais, para poder estar atento às preferências dos ouvintes, que querem descobrir algo novo.

Até ao momento quantos artistas já produziu?

Muitos. Desde 2003/2004 estou a produzir constantemente, no entanto, nos últimos 4/5 anos tive de produzir um pouco menos, devido a maior procura dos meus serviços como engenheiro de mistura e masterização. Tenho como exemplo o último trabalho de Grace Evora, 2069. Produzi também duas faixas, “Lembra na bo”, e “Txin txin”, no entanto fiz entre 7 e 8 misturas na totalidade.

Com que artista teve maior prazer em trabalhar?

Tento sempre estar envolvido nos projetos, principalmente com os quais me sinto à vontade. Isso leva-me sempre a ter prazer em praticamente todos os projetos. Mas também naturalmente tem artistas que no final tornámo-nos muito próximos e mais amigos e isso ajuda a aumentar o prazer pelo trabalho.

Nesse momento vive exclusivamente da música?

Não, mas poderia. Para além de uma carreira musical super saudável, trabalho como escritor, compositor, produtor, e mais ativamente como engenheiro, é que tenho também, em paralelo, uma carreira de 12 anos como engenheiro de softwares, por uma companhia Norte-americana.

Aventurou, pela primeira vez, com “Conversas di Coração”. De onde surgiu a inspiração?

Por acaso essa musica não foi a minha primeira composição. Foi sim o primeiro interpretado pelo artista Zé Carlos. Tive alguns temas interpretados por outros artistas, como por exemplo, “Perta na mi” interpretado por Grace Évora.

Qual é o seu objetivo na música?

Meu maior objetivo é continuar a investir na minha companhia K-Scale Music, e abrir mais portas aos artistas que estão a começar a carreira. Quero também continuar a criar relações saudáveis e de amizade com todos os artistas que um dia tive o prazer de conhecer e de trabalhar com eles.

Que projetos futuros?

De momento estou no processo de misturas de vários projetos, de muitos artistas, como Michael Rosário, de Moçambique, Swit & Don Kikas, e um filme de curta metragem intitulado de “HR” que está previsto o seu lançamento em meados de 2019.

Em relação à produção, é continuar a trabalhar, com destaque para Mel, que é a artista que faz parte de K-Scale Music.

Estou também a terminar algumas produções para Grace Evora, trabalho que deverá sair brevemente, Ban D’Agu Boyz & Nissah Barbosa, entre outros trabalhos que estão ainda a serem negociados com alguns artistas mas ainda é surpresa.

2 COMENTÁRIOS

  1. É um prazer enorme trabalhar com este grande músico Cleu Cardoso. Um grande homem, grande profissional e espero continuar muitos anos a trabalhar com ele. Mereces toda felicidade do mundo amigo.
    Michael do Rosário – Moçambique

  2. Um musico de muito talento e com quem se pode aprender bastante! Um abraço grande e continuacao de muitos sucessos na sua carreira!
    Abraços

Comments are closed.