CONFLITO: Cuba manda retirar mais de 11 mil médicos do Brasil

1

O Governo cubano anunciou hoje que vai deixar de fornecer médicos ao Brasil devido às declarações “ameaçadoras e pejorativas” do Presidente eleito Jair Bolsonaro, que prometeu modificações “inaceitáveis” neste projeto governamental

Jair Bolsonaro contestou as “nossas referências médicas” e “reiterou que vai modificar os termos e condições do programa Mais Médicos”, depois de “questionar a preparação” dos profissionais cubanos, condicionando a “sua permanência no programa à revalidação do título”, refere, em comunicado o Ministério da Saúde de Cuba.

O governo cubano acrescentou que as mudanças anunciadas “impõem condições inaceitáveis e violam as garantias acordadas desde o início do programa”, ratificado em 2016.

Perante esta “realidade lamentável, o Ministério da Saúde Pública de Cuba tomou a decisão de não continuar a participar no programa ‘Mais Médicos’ e informou o Diretor da Organização Pan-Americana da Saúde e os líderes políticos brasileiros que fundaram e defenderam essa iniciativa”, acrescentou.

Agora, o Governo cubano deve convocar de volta ao seu país mais de 11 mil médicos que atualmente trabalham no Brasil.

Em cinco anos, os funcionários cubanos atenderam mais de 113 milhões de pessoas, em mais de 3.600 Municípios.



1 COMENTÁRIO

  1. Esta não é 100% verdadeira. O que J. Bolsonaro disse foram três coisas: médicos cubanos devem fazer provas antes do exercício médico no Brasil, o Brasil vai pagar 100% do salário aos médicos. Actualmente o regime comunista recebe mais de 60% do salário desses médicos e estes só têm direito a uma miséria. Por fim, Bolsonaro disse que os médicos cubanos aprovados seriam livres para trazer ao Brasil seus familiares. Foi isso que Cuba recusou. A notícia consta da revista http://www.Istoe.com.br

Comentários estão fechados.