Covid-19 bloqueia setor do turismo

0

Ministro do Turismo e Transportes fala em “quebra substancial” ao nível de entradas de turistas no Arquipélago

          

Carlos Santos que falava, esta manhã, no fórum-conferência do Grupo Parlamentar do MpD, no quadro da preparação do debate sobre o Estado da Nação, prognosticou que apenas em 2023, o nosso País poderá voltar a registar entrada de turistas, semelhantes a 2019.

“Nós temos uma quebra substancial” ao nível de entradas de turistas no Arquipélago, “e os números dizem-nos que só em 2023 poderemos almejar os números de 2019”, precisou durante sua comunicação, no referido fórum-conferência.

Dados oficiais apontam que no decurso de 2019, o nosso País recebeu 819.308 turistas, número que evidencia um aumento na ordem de 7%, comparado com 2018. A meta no horizonte 2021 é chegar a um milhão de turistas, impossível, entretanto, devido à pandemia da Covid-19 que alterou todos os cálculos.

Olhando para as perspetivas, adiantou Carlos Santos, Cabo Verde deve “apostar” na conectividade e nas alternativas, tipo as low cost.

“Nós teremos que continuar a apostar na diversificação da oferta como uma arma para tornar resiliente e resistente nos próximos anos, nas tecnologias digitais e também na sustentabilidade, não só como forma de proteger o turismo, o crescimento, mas também vendê-los como uma marca no futuro”, anotou.

O Ministro adiantou que o Governo está a preparar um plano de execução para fazer renascer o turismo no País, isto ancorado em 4 programas, com enfoque na segurança sanitária, na qualificação e diversificação turística, na sustentabilidade turística e proteção e fomento às empresas.

Carlos Santos acentuou ser a segurança sanitária “inevitavelmente” uma “variável determinante” doravante para os viajantes e operadores turísticos.

O fórum-conferência do Grupo Parlamentar do MpD, realizado ontem e hoje, quarta-feira, 22, serviu para recolher subsídios para o debate sobre o Estado da Nação.