Covid-19. Mais 40 novos casos positivos em Cabo Verde

2

Destes, 35 foram registados na Ilha de Santiago, sendo 30 na Cidade da Praia, 4 em Santa Catarina, e 1 em Ribeira Grande. Ilha do Sal também registou mais 5 infeções

          

O número de casos acumulados de Covid-19 em Cabo Verde aumentou, esta quarta-feira, para 1.267, depois do surgimento de mais 40 novos casos, conforme avançou o Ministério da Saúde e da Segurança Social.

De acordo com uma nota remetida ao OPAÍS.cv, esses 40 novos casos são resultados das amostras recolhidas desde o dia 24 de junho a esta parte.

Só na Cidade da Praia, registou-se 30 novas infeções, Santa Catarina de Santiago, 4, e Ribeira Grande de Santiago, 1. A Ilha do Sal tem 5 novas infeções.

Nos dois laboratórios do País foram analisadas 256 amostras, das quais 216 acusaram negativos, sendo 173 da Praia, 1 de Santa Catarina de Santiago, 33 do Sal e 9 de São Vicente.

O País passa a contabilizar, neste momento, 1.267 casos positivos acumulados de Covid-19, 621 casos ativos, 629 casos recuperados e 15 óbitos a lamentar.

2 COMENTÁRIOS

  1. Isso já foi longe demais. É claro que Santiago e Sal estão com sérios problemas com a propagação do vírus. Por que as autoridades de saúde estão caladas sobre isso? É hora de tomar algumas medidas drásticas. Se nada for feito, teremos uma grande explosão deste vírus.

    O tempo é oportuno, porque não podemos viajar para a Europa ou a América com taxas tão altas de infecção. Portanto, enquanto as fronteiras internacionais estão fechadas para Cabo Verde, vamos tomar um tempo e fazer um esforço para corrigir o curso deste navio.

    Aqui está o que eu sugiro:

    1. Torne obrigatório o uso de máscaras não apenas quando as pessoas estiverem dentro de um estabelecimento fechado, mas sempre quando as pessoas estiverem na via pública. Aplique uma multa de 1.000 escudos quando as pessoas forem pegas sem máscaras.

    2. Atrase todas as viagens entre ilhas até o final de julho. Não é fácil deixar as pessoas viajarem de Satiago ou Sal para ilhas onde o vírus está sob controle em 15 de junho. As fronteiras internas não devem ser abertas ao transporte aéreo até pelo menos 1 de julho.

    3. Declarar um rigoroso toque de recolher noturno em Santiago e Sal das 22:00 às 06:00. Qualquer pessoa, exceto trabalhadores essenciais, encontrada andando nas ruas durante o horário do toque de recolher, será presa e multada em 1.000. Eles serão liberados ao meio-dia, mas deverão pagar a multa para serem liberados.

    4. Feche todas as barras durante todas as horas. O álcool incentiva as pessoas a reduzirem a guarda e, como são locais onde as pessoas se reúnem e falam alto sem máscaras, são locais com alto risco de transmissão de vírus. Bares que também possuem restaurante ou mini mercado nas mesmas instalações não devem servir bebidas alcoólicas. Quaisquer estabelecimentos onde os clientes não usem máscaras ou sirvam bebidas alcoólicas serão multados em 10.000 escusdos. E os clientes que não estiverem usando máscaras, exceto os que estão jantando, serão multados em 1.000 escudos.

    5. Não são permitidas grandes reuniões públicas ou privadas a qualquer momento. As pessoas tentarão desobedecer às restrições reunindo-se em casas particulares e realizando festas. Os promotores dessas reuniões serão multados em 10.000 escudos e todas as pessoas presentes serão multadas em 1.000 escudos.

    6. Todos os estabelecimentos devem garantir o distanciamento social e mascarar o desgaste dentro de suas instalações. Assim que o estado de emergência foi levantado, não havia mais distanciamento social sendo observado pelas empresas, embora a medida ainda estivesse em vigor. Qualquer estabelecimento que não imponha distanciamento social será forçado a fechar por 1 mês e será multado em quantidade suficiente para pagar a todos os funcionários 50% de seu salário mensal. Qualquer cliente desses estabelecimentos sem máscara será multado em 1.000 escudos.

    É hora de agir! Não precisamos de outro estado de emergência e não precisamos desligar a economia. Simplesmente precisamos aplicar as medidas de saúde. Se não agirmos agora, não conseguiremos reduzir as taxas de infecção em sete dias abaixo de 20 casos por 100.000 habitantes, que é a medida necessária para entrar no espaço Schengen. Além disso, precisamos ter uma baixa taxa de infecção para atrair turistas!

    Essas medidas não são difíceis de estabelecer e aplicar. Apenas faça. Quanto mais esperarmos, pior será a situação.

  2. Corecção: “6. Todos os estabelecimentos devem garantir o distanciamento social e o uso de máscaras dentro de suas instalações…..”

Comments are closed.