CPR do PAICV de Santo Antão também demarca-se da lista para Legislativas

Posição foi ontem expressa, pelo Presidente da Comissão Política Regional, em conferência de Imprensa. Saturnino Batista lamenta o “desrespeito” e a “marginalização” para com o órgão que preside

          

Depois de São Vicente agora é a vez da CPR de Santo Antão do PAICV demarcar-se das listas candidatas às eleições Legislativas de 18 de abril. A estrutura da Ilha lamenta o que considera ser “total desconsideração” dos órgãos nacionais na composição das listas em Santo Antão, ignorando todas as sugestões enviadas pela CPR.

Saturnino Batista fala mesmo em “desrespeito” e a “marginalização” para com o órgão que preside, por isso a CPR demarca-se da lista apresentada que integra 3 nomes que a direção regional não propôs, mas que Janira Hopffer Almada escolheu, a começar pela cabeça de lista.

Batista refere que a lista enviada pela CPR à Comissão Política Nacional foi alterada de forma “radical”, e “estranhamente”, nenhum membro da atual CPR de Santo Antão, nenhum membro dos 3 Conselhos de Setor, nem mesmo o Deputado ainda em exercício de funções mereceu um lugar cimeiro na lista.

A CPR acusa JHA de se furtar ao diálogo, na preparação destas eleições e até mesmo na montagem das estruturas para a campanha Legislativa.

De acordo com o Presidente da CPR “inviabilizada qualquer possibilidade” de diálogo para tratar a questão internamente, a CPR-SA, na sua maioria, “sente-se desconsiderada e excluída” do processo, pelo que não lhe resta outra opção que não “demarcar-se” da forma como o processo está sendo conduzido.

Esta posição surge cerca de uma semana depois de em São Vicente, também a CPR ter-se demarcado das listas, com o seu Presidente Alcides Graça a demitir-se do cargo.

Notícia relacionada:

CPR do PAICV de São Vicente demarca-se da lista para Legislativas

5 COMENTÁRIOS

  1. Começa a ficar muito claro quem é esta mulher completamente maluca que quer ser PM de Cabo Verde. A prepotência e a falsidade são marcas indisfarçáveis da sua personalidade . Estranho e desprestigiante parece o comportamento dos líderes sectoriais e regionais de Santiago e Fogo que mereceram os mesmos mimos de St Antão e S. Vicente mas preferiram engolir em seco como fazem os cobardes, ficando mudos e calados.
    Nalguma rede social as suas milícias procuram enganar os incautos que ela fez alteração dos nomes em S. Vicente e St Antão por causa dos maus resultados das autárquicas. Se assim fosse ela não incluiria nas listas de Santiago Norte os dois grandes perdedores de Santa Catarina e S. Lourenço dos órgãos ( Armindo Freitas e Antonio Fernandes), que tiveram péssimos resultados, muito piores do que 2016.
    Mas não, o jogo e’ outro? Freitas e’ primo da JHA e Antonio Fernandes um bom moço de recados, capaz de todos os serviços sujos.
    Janira não quer ver em palcos políticos nenhum líder potencial, ela quer rodear-se de familiares e pucha-sacos.

  2. Haverá algum caboverdiano informado que seriamente reconhece idoneidade, maturidade e bom senso na JHA para dirigir um País frágil como Cabo Verde ??
    Mais do que ganância e espírito de vinganca, Janira destruiria em pouco tempo todos os equilíbrios desta terra. Vejam a maluquice de quase zerar varias taxas que ela levou o Francisco Carvalho a implementar na Praia e que já começa a não poder pagar salários .
    Fujam desta sereia como diabo foge da cruz !

  3. Depois de ter lido, recentemente, a deliberação número 7/2016 da ARC, por indicação de um amigo, passei a saber do que a Janira e’ capaz, contra os seus próprios Camaradas de Partido. Compreendi também melhor a nova linha editorial do jornal “A Nação “, desde que o pai da Janira, David H. Almada, comprou 40% desse Jornal.
    Estou por isso em total solidariedade com os Camaradas de St. Antão e S. Vicente que ousaram vir a público lançar o grito de alerta do tipo – Janira e’ um perigo público .

  4. Correção
    JHA enfrenta uma tremenda rebelião interna no seu Paicv, rebelião essa que é fruto de uma liderança truculenta, birrenta, errática que tentou impor aos seus liderados. Isto é apenas o prenúncio da turbulência e do caos que será um hipotético Governo, liderado por esta moça. E a moda pegou rápido. Mal entrou para a lista, Carla Lima da RCV/AJOC mostrou que aprendeu direitinho com as lições de truculências da “xefona”, mandando “tchupa limon” ao eleitorado do Santiago Sul. Dos defeitos todos, e não foram poucos que são imputados ao JMN, num deles, ele está completamente isento. Embora JHA seja a cria dele, porém, antevendo enormes problemas de relacionamento, cedo JMN afastou-se desta rapariga, embora permaneça preso aos “outros” que ele assumiu com o pai dela.

  5. Estou ansioso para ver se os nossos rapazes de Santiago não teem tomates como os de S. Vicente e St Antão . O Caio de S. Domingos, Primeiro Secretário eleito, foi duas vezes rejeitado pela Janira, ( nem Autárquicas e nem Parlamento) depois de ter feito um grande trabalho de terreno, reconhecido por todos os militantes do PAICV de S. Domingos; o Felisberto Veiga de Calheta, também ele Primeiro Secretário, o mais votado para Deputado, viu seu nome barrado pela JHA; o Pedro Amante do Tarrafal a mesma coisa, isto é, o mais votado no Sector, viu seu nome ignorado pela Janira para no seu lugar ficar uma das arguidas que ajudaram a Janira e o Móises Borges a desvirem os dinheiros do Fundo do Ambiente; o Joaquim Furtado de Santa Catarina, Vice-presidente da Comissão Política Regional, andou desde 2016 a andar atrás da matreira e batoteira Ivone Fortes, com a promessa de ser candidato a Deputado, ficou surpreendido na CPR quando o moço de recado da Janira, Antônio Fernandes, lhe informou que em vez dele a JHA preferia o seu primo Armindo Freitas, o mesmo grande derrotado das autárquicas, para liderar a lista para Santa Catarina, no quadro da estratégia nopotista da JHA. Limitou-se a abandonar a sala mas não tem coragem para abrir a boca.
    Caramba, que vergonha para Santiago ! Que indignidade !
    Que traição ao passado heroico desta Ilha !

COMENTE ESTA NOTÍCIA

Por favor digite seu comentário!


COMENTÁRIOS: O País defende a liberdade de expressão e o debate livre de ideias. Entretanto, todos os comentários são mediados pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Advertimos, no entanto, de que os comentários devem cumprir os critérios estabelecidos pela Coordenação Editorial, nomeadamente, não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem, não ofender o bom-nome de pessoas e instituições, não conter acusações sobre a vida privada de terceiros, e não conter linguagem inadequada. Comentários que não respeitarem estes pressupostos não serão considerados.


Por favor, digite seu nome aqui