Defesa de Amadeu Oliveira pede suspensão do julgamento

3

Para a Juíza, os argumentos apresentados não justificam a suspensão. Defesa afirma que Ivanilda Mascarenhas Varela não tem competências para julgamento do processo em causa

          

A defesa do advogado-arguido, Amadeu Oliveira, pediu hoje, no início do julgamento, que a audiência fosse suspensa porque a juiza Ivanilda Mascarenhas Varela não tem competência para julgar o processo, no qual Amadeu Oliveira é arguido.

Para a defesa, a referida Juíza está afeta ao 4.º juizo e não pode estar a julgar esse processo, uma justificativa que não convenceu a Juiza que alegou que os argumentos não justificam a suspensão da audiência. Alías, o próprio Tribunal de Relação de Sotavento declarou que a referida Juiza tem competencia para julgar o caso, mesmo estando afeta ao 4.º juizo.

Para tentar adiar essa sessão, a defesa basea-se num outro fato, para que tal aconteça. Segundo a mesma fonte, a Juiza Ivanilda Mascarenhas Varela tem um processo no Conselho Superior de Magistratura Judicial por suposta “manipulação de provas e denegação de sentenças”, inclusive o próprio Amadeu Oliveira teria feito uma quiexa contra esta Juiza, pelo que a mesma não deveria julgar esse processo, segundo a defesa.

Uma fraude

Momentos antes da audiência, Amadeu Oliveira referiu que este seu julgamento é uma fraude, isso porque a Justiça quer condenar um emigrante, seu cliente.

Amadeu Oliveira disse que Arlindo Teixeira, que inicialmente foi condenado a 11 anos de prisão, cujo recurso está a decorrer, vai ser julgado no dia 25 de fevereiro. Segundo este advogado-arguido, acusado de 14 crimes de injúrias e difamação, contra os magistrados do STJ, o seu julgamento é uma forma encontrada de o impedir de defender o seu cliente Santantonese, Arlindo Teixeira, que vai ser condenado a 9 anos de prisão, porque será defendido por um defensor oficioso.

“Arlindo Teixeira foi condenado injustamente a 11 anos de cadeia e vai ser condenado de novo e até já sei os anos de cadeia que o vão aplicar”, acrescentou, afirmando que ele é o único que conhece de cor o processo e o único capaz de defender o emigrante Teixeira. “O processo tem mais de 1.000 páginas e eu sei onde é que houve as adulterações. Portanto, sou o único advogado capaz de defender o cidadão Arlindo Teixeira”, precisou.

3 COMENTÁRIOS

  1. Por mais que haja objeção ou reservas fundamentadas da defesa em Direito sobre a competência ou não do juiz do processo, também chamado de “juiz natural”, apostar em afrontar a sua autoridade, para não comparecer à uma audiência e “basofando e bluffando” na radio só torna a situação mais complicada para o Amadeu. Manda o bom-senso e a elegância que uma “boa briga” em Direito seja discutida nos tribunais. Imagine-se uma situação inversa em que a vítima ou o ofendido é o Amadeu, em que os arguidos se recusam a apresentar ante ao juiz. Complicado!

  2. É preço insistir. Se ele sabe onde estão as alterações no processo de homicídio do al emigrante francês e quem as introduziu, em minha opinião, basta denunciar no acto de julgamento. Repito, se ele tem provas para que fim pretende adiar o julgamento. Este julgamento teve início em 2019 e foi interrompido por suspeitas do arguido. Aqui há gato e num outro comentário disse qual a estratégia.

  3. O Amadeu apela à justiça quando tenta a todo custo furtar-se à ela, insistindo na sua ausência e sucessivos adiamentos. O apelo ao povo que o seu julgamento é uma farsa é um claro apelo às pessoas a não comparecerem à justiça quando chamados. Sinceramente não compreendo essa atitude.

COMENTE ESTA NOTÍCIA

Por favor digite seu comentário!


COMENTÁRIOS: O País defende a liberdade de expressão e o debate livre de ideias. Entretanto, todos os comentários são mediados pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Advertimos, no entanto, de que os comentários devem cumprir os critérios estabelecidos pela Coordenação Editorial, nomeadamente, não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem, não ofender o bom-nome de pessoas e instituições, não conter acusações sobre a vida privada de terceiros, e não conter linguagem inadequada. Comentários que não respeitarem estes pressupostos não serão considerados.


Por favor, digite seu nome aqui