Demagogia primária e resquícios da mentalidade do partido único

1

O sr. Francisco Carvalho é de uma VULGARIDADE interpretativa impressionante. Passou a entrevista toda de ontem a falar da “Câmara do Óscar”, aconselhado, talvez, por estrategos e fanáticos de quinta categoria.

          

Ora, que eu saiba, o economista Óscar Santos NÃO é dono de nenhuma Câmara Municipal, sendo apenas um político eleito pelas gentes da Praia, em reconhecimento do seu trabalho.

A Câmara Municipal é um dos órgãos da pessoa colectiva MUNICÍPIO e presta contas, evidentemente, nos termos da Lei.

Foi a Constituição da República de 1992 que instituiu, neste país, o mecanismo dos “checks and balances”, sintonizando Cabo Verde com as melhores práticas internacionais.

A NÃO PRESTAÇÃO de contas só existia durante o regime de Partido Único, que o PAIGC-CV estabeleceu nestas ilhas a partir de 1975.

Nesse tempo, o Partido controlava TUDO e não se submetia ao crivo dos tribunais. Aliás, tinha até a prerrogativa de NOMEAR JUIZES, o que mostra, de forma irrefutável, a podridão desse regime de feição estalinística e a sua total falta de escrúpulos institucionais.

Hoje, felizmente, temos um Poder Local democrático e civilizado, que funciona com transparência.

Ps: O pior é quando NÃO EXISTE nenhum mecanismo de controlo. Esse foi o “modelo” do Partido Único e do PAICV. Ainda por cima não existia a liberdade de imprensa, o que só complicava a situação. Aristides Pereira, o então PR, dizia expressamente que os “jornalistas” são apenas militantes do Partido destacados nas redacções. Parece que as pessoas já se esqueceram disso!

1 COMENTÁRIO

  1. Eu não diria ‘resquícios’, porquanto o Paicv nunca abandonou a sua ideologia baseada no totalitarismo. É um partido de monstros que prega monstruosidades como doutrina política. É bom lembrar que o Paicv abandonou a sala de sessões no Acto Solene de aprovação da Constituição da República de Cabo Verde em protesto contra os princípios universais de direitos, liberdades e garantias consagrados na Carta Magna de Setembro de 1992.

Comments are closed.