Diocese de Mindelo propõe restaurar e renovar todos os Secretariados até 2023

1

Decisão foi tomada durante encontro dos Agentes da Pastoral, que esteve reunido no passado mês de abril, em São Vicente. Em 2023, Diocese de Mindelo celebra 20 anos da sua criação

Nos próximos 3 anos, a Igreja de Mindelo propõe restaurar e renovar todos os seus Secretariados Diocesanos, indica o Bispo, em entrevista ao OPAÍS.cv. Neste momento, a Diocese está a celebrar os seus 17 anos de criação, pelo saudoso Papa João Paulo II.

“Estes próximos 3 anos, vão ser vividos precisamente para culminarmos com a celebração dos 20 anos da Diocese”, em 2023, indica Dom Ildo Fortes, observando que durante o encontro dos Agentes da Pastoral, realizado no passado mês de abril, ficou decidido a renovação e/ou restauração de todos os Secretariados Diocesanos. “Uma coisa que ficou claro entre nós é que (até 2023), todos os nossos Secretariados fossem restaurados, renovados, ou com novos elementos ou pôr de pé alguns que são necessários”.

Igreja jovem

Recuando no tempo, Dom Ildo Fortes olha para os 17 anos desta Igreja particular e reconhece ser uma Igreja com “espírito de juventude”, uma Igreja que cresce entre desafios mas que não cai nem na inatividade nem na passividade.

“Enquanto estrutura e nova organização eclesiástica tem estes 17 anos e este espírito de juventude, este sonho de crescermos mais constituiu um desafio muito bom. Nós sabemos que há determinadas pessoas, determinadas realidades quando já têm tudo, quando já não têm nada para pensar ou construir, caem numa certa inatividade ou certa passividade, e isto não pode acontecer e não acontece de maneira nenhuma na nossa Diocese”.

Outros desafios

Nos próximos tempos, a Diocese precisa de ter os seus organismos, os diversos serviços diocesanos, e Dom Ildo aponta para aqueles “básicos”, como os secretariados da Família, da Juventude, da Catequese, da Liturgia, das Vocações “mas há muitos outros que é preciso ir pensando” como uma Comissão de Justiça, Paz e Ecologia “que já criamos, tendo em conta esta prioridade que o Papa Francisco e da Igreja, de atenção à criação”, indica.

Por outro lado, a Diocese idealizou a criação de uma Comissão Diocesana para os Emigrantes e Refugiados. “São muitas instâncias que nós precisamos criar”, reconhece, apontando para a necessidade de se pensar uma estrutura para os professores Católicos, “já existe um a nível nacional mas é preciso ter um polo em Mindelo”, adianta.

No horizonte está também a criação de uma Comissão dos profissionais de Saúde Católicos, que reúna médicos e enfermeiros.

“Outra prioridade mas que ainda não tivemos condições para o criar, é um Tribunal Eclesiástico porque é preciso de gente formada na área do Direito e Direito Canónico. Nós temos um Padre neste momento a formar-se só para isso. É necessário. Outros serão necessários no futuro porque a Igreja tem alguns aspetos que precisam de resolver, como é o caso dos patrimónios, e isto é tarefa de um Tribunal Eclesiástico”, pontua, reconhecendo, no entanto, que para pôr de pé “todos estes pilares” leva o seu tempo e “vamos ao ritmo que for possível”.

A Diocese de Mindelo foi fundada a 9 de dezembro de 2003, pelo saudoso Papa João Paulo II, tendo sido seu primeiro Bispo, e durante cerca de 7 anos, Dom Arlindo Gomes Furtado, atual Bispo de Santiago. Sucedeu-lhe, Dom Ildo Fortes em funções há 10 anos.

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.