Estado a dirigir tudo “não cria” emprego

0

Posição é da Deputada Joana Rosa, líder Parlamentar do MpD

          

Na véspera do debate parlamentar com o Primeiro-Ministro sobre “Cabo Verde e o papel do Estado no desenvolvimento”, o MpD constata que o Governo que suporta tem utilizado o Estado ao serviço do desenvolvimento nacional. Joana Rosa confirma que tem havido vários programas e em diversas áreas de atividade onde tem sido clara esta ação do Governo da República.

O MpD, sublinha a líder parlamentar, defende a criação de condições como formação dos jovens e das pessoas para que possam ter emprego e não depender do Estado.

“Esta lógica de estatização do PAICV, de manter o Estado a dirigir tudo, não cria emprego, não cria dinâmica económica e leva o País ao caos”, observou a Parlamentar, para que o MpD, mesmo em “tempos difíceis”, como secas e pandemia governou melhor que o PAICV, tendo criado, nos últimos 4 anos, “mais emprego” e “mais dinâmica” económica, com o crescimento do País a subir de 1% por cento para quase 6%.

Do lado do PAICV, este Partido da Oposição defende um Estado “necessário e solidário”. Rui Semedo deseja um Estado “regulador” e que no seu entender deve garantir os “meios fundamentais” para qualidade de vida dos cidadãos.

O debate com o PM acontece na quarta-feira, 24, no início da segunda sessão de fevereiro do Parlamento, numa sessão com outros pontos em agenda, como define a proposta da ordem do dia.

A sessão decorre de quarta a sexta-feira.

COMENTE ESTA NOTÍCIA

Por favor digite seu comentário!


COMENTÁRIOS: O País defende a liberdade de expressão e o debate livre de ideias. Entretanto, todos os comentários são mediados pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Advertimos, no entanto, de que os comentários devem cumprir os critérios estabelecidos pela Coordenação Editorial, nomeadamente, não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem, não ofender o bom-nome de pessoas e instituições, não conter acusações sobre a vida privada de terceiros, e não conter linguagem inadequada. Comentários que não respeitarem estes pressupostos não serão considerados.


Por favor, digite seu nome aqui