Foi há 30 anos

1

Foi há 30 anos, ainda me lembro do aroma desta noite, impregnada de angústia de não perceber bem o que se passa mas esperança de ser algo bom, muito bom. Lembro de estar no quarto, mandaram as crianças deitar e ficaram os adultos na sala a acompanhar a rádio, claro ficamos à espreita, cada notícia de cada ilha eram gritos de euforia seguidos de silêncios e pedidos de calma. Era um silêncio frenético, uma angústia, esta espera do grito final e um temor pelas consequências que seriam se este grito último não chegasse.

          

E eis que ele chega de forma retumbante de Santo Antão a Brava, o Povo das ilhas estava finalmente Livre! Era a democracia a esmurrar todas as portas a derrubar todas as barreiras impostas pelo partido único era uma alegria desesperadora.

E hoje passados 30 anos, estribado na constituição de 92 uma das mais inovadoras constituições, Cabo Verde assenta a II República nos pilares e princípios da Liberdade Democracia e acima de tudo no respeito pela dignidade da pessoa humana.

É isso que leva com que Cabo Verde hoje seja um país confiável e respeitado internacionalmente, uma democracia nova, porém robusta.

13 de Janeiro é sem dúvidas uma das datas mais importante para o povo das ilhas, porque não basta ser independente é preciso ser LIVRE!

Cabo Verde e todos os Cabo-verdianos tem o dever de proteger a nossa democracia, hoje mais do que nunca, urge reafirmar o 13 de Janeiro e fazer com que todos os dias sejam 13 de Janeiro!

Viva LIBERDADE !

Viva DEMOCRACIA !

Viva CABO VERDE !

1 COMENTÁRIO

  1. Escreve muito bem a Sra doutora. Força, porque, afinal, como disse e bem o Frei Fidalgo, isto daqui suou muito até chegarmos ao ano 30. Um parto duradouro e doloroso de 15 anos. Morreu gente, sofreu muita gente, mas finalmente temos o “13th JAN”. Há ainda por aí os hipócritas como JMN, o Mário Matos, o Orlando, o Júlio Correia, imagine até o Jorge Tolentino que se opuseram a democracia. Hoje, donos de um parlar fácil e de alto timbre demagógico, fingem ser os cordeiros, e, até se arriscam a ministrar conferências sobre algo que negam continuamente – democracia.

COMENTE ESTA NOTÍCIA

Por favor digite seu comentário!


COMENTÁRIOS: O País defende a liberdade de expressão e o debate livre de ideias. Entretanto, todos os comentários são mediados pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Advertimos, no entanto, de que os comentários devem cumprir os critérios estabelecidos pela Coordenação Editorial, nomeadamente, não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem, não ofender o bom-nome de pessoas e instituições, não conter acusações sobre a vida privada de terceiros, e não conter linguagem inadequada. Comentários que não respeitarem estes pressupostos não serão considerados.


Por favor, digite seu nome aqui