Governo está fazer todos os possíveis para evitar aumento do IVA em 2022

0

Garantia é do vice Primeiro-Ministro, que sublinha que o Executivo está a trabalhar ao nível das moratórias para conseguir o sucesso de pelo menos 50% para evitar que haja qualquer alteração ao nível da imposição fiscal ou do aumento da taxa de impostos

O Governo já tinha dito que o aumento do IVA em 2022, tão propalado pelo PAICV, só aconteceria em último caso. Ontem, o vice Primeiro-Ministro veio reforçar essa posição precisando que o Executivo está a fazer todos os possíveis ao seu alcance para evitar qualquer aumento do IVA.

“Nós estamos a trabalhar o Orçamento do Estado com base em propostas e em cenários”, começou por referir Olavo Correia, assegurando que o Governo “está a trabalhar”, sobretudo a vertente que tem a ver com as moratórias juntos dos credores bilaterais. “Estamos a falar de mais de cinco milhões de contos previstos em termos totais”.

Em notícia avançada pela Agência Inforpress, à margem da assinatura de um empréstimo de 20 milhões com o BAD, Olavo Correia explicou que se o Governo conseguir apenas 50% de sucessos na referida operação, haverá recursos suficientes para evitar aumento do IVA, no próximo ano, mas deixou claro que são apenas previsões e o trabalho para que seja concretizada está a ser feito. “Nós estamos a trabalhar precisamente para evitar que isto aconteça, é o trabalho que nós estamos a fazer e esperamos que até a apresentação do documento no Parlamento para discussão e aprovação teremos as confirmações que poderá permitir reajustar a proposta inicial apresentada”, contou.

COMENTE ESTA NOTÍCIA

Por favor digite seu comentário!


COMENTÁRIOS: O País defende a liberdade de expressão e o debate livre de ideias. Entretanto, todos os comentários são mediados pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Advertimos, no entanto, de que os comentários devem cumprir os critérios estabelecidos pela Coordenação Editorial, nomeadamente, não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem, não ofender o bom-nome de pessoas e instituições, não conter acusações sobre a vida privada de terceiros, e não conter linguagem inadequada. Comentários que não respeitarem estes pressupostos não serão considerados.


Por favor, digite seu nome aqui