Governo proíbe introdução, venda e distribuição de sacos de plásticos no mercado

0

Esta decisão foi aprovada na sexta feira, 13, no Conselho de Ministros

O Conselho de Ministros aprovou a lei que proibi a introdução no mercado Cabo-verdiano de consumo, venda e distribuição de qualquer saco, embalagem ou objetos de plásticos.

A Ministra da Presidência do Conselho de Ministros e dos Assuntos Parlamentares, Filomena Gonçalves, declarou durante uma conferencia de Imprensa, que esta proposta visa ainda criar o quadro legal de incentivos económicos, financeiros administrativos aos privados destinados à produção de comercialização dos produtos alternativos dos sacos de plásticos, proibir a introdução no mercado do consumo da venda da distribuição de qualquer saco embalagem ou objeto de plástico de utilização única.

Essa proposta, de acordo com a governante, adota algumas medidas como a promoção e realização de investigação junto à academia a produção alternativa e implementação, a recolha seletiva junto com as autarquias locais.

“Essas medidas assentam em alguns princípios estratégicos nomeadamente hierarquização de gestão de resíduos que consiste na prevenção, redução e reciclagem, proteção da saúde humana e ambiental contra os efeitos da poluição por plásticos e mioplásticos, ainda substituição por materiais alternativas”, afirmou Filomena Gonçalves.

Importa realçar que esta proposta aprovada nesta sexta-feira pelo Governo, constitui uma revisão de lei antiga que incidi sobre a problemática de sacos de plásticos convencionais.

COMENTE ESTA NOTÍCIA

Por favor digite seu comentário!


COMENTÁRIOS: O País defende a liberdade de expressão e o debate livre de ideias. Entretanto, todos os comentários são mediados pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Advertimos, no entanto, de que os comentários devem cumprir os critérios estabelecidos pela Coordenação Editorial, nomeadamente, não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem, não ofender o bom-nome de pessoas e instituições, não conter acusações sobre a vida privada de terceiros, e não conter linguagem inadequada. Comentários que não respeitarem estes pressupostos não serão considerados.


Por favor, digite seu nome aqui