Guterres arrasa multimilionários que se “divertem no espaço enquanto milhões passam fome na Terra”

0

Críticas recaem sobretudo aos dois multimilionários, Jeff Bezos (Blue Origin) e Richard Branson (Virgin Galactic), que estão na corrida ao espaço

O Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas, António Guterres, criticou Jeff Bezos (Blue Origin) e Richard Branson (Virgin Galactic), durante discurso de abertura na Assembleia Geral da ONU perante outros líderes mundiais, que aconteceu nesta terça-feira, 21 de setembro. O líder das Nações Unidas criticou a atitude dos multimilionários face à corrida ao espaço, referindo que isto refletia as discrepâncias entre ricos e pobres que existe no mundo.

“Excelências. A Covid e a crise climática expuseram fragilidades profundas na sociedade e no planeta. Mesmo assim, em vez de humildade perante estes desafios épicos, vemos arrogância. Em vez de um caminho para a solidariedade, estamos num caminho sem saída para a destruição”, começou por dizer António Guterres aos líderes dos países que marcaram presença na assembleia.

“Ao mesmo tempo, outra doença está a espalhar-se no nosso mundo: uma doença de desconfiança. Quando as pessoas veem as promessas de progresso negadas pela realidade das suas vidas duras… quando veem os seus direitos fundamentais e liberdades diminuídos… quando veem mesquinhez, bem como grande corrupção à sua volta… quando veem multimilionários em viagens de recreio ao espaço enquanto milhões passam fome na Terra… quando os pais veem um futuro para os seus filhos que é ainda mais sombrio do que as dificuldades atuais… quando os jovens não veem sequer um futuro… As pessoas que servimos e representamos podem perder esperança não só nos seus governos e instituições – mas também nos valores que têm sido o trabalho das Nações Unidas há mais de 75 anos”.

Os porta-vozes das empresas espaciais Blue Origin, de Bezos, e Virgin Galactic, de Branson, ainda não reagiram ao discurso do Secretário-Geral da ONU.

 

COMENTE ESTA NOTÍCIA

Por favor digite seu comentário!


COMENTÁRIOS: O País defende a liberdade de expressão e o debate livre de ideias. Entretanto, todos os comentários são mediados pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Advertimos, no entanto, de que os comentários devem cumprir os critérios estabelecidos pela Coordenação Editorial, nomeadamente, não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem, não ofender o bom-nome de pessoas e instituições, não conter acusações sobre a vida privada de terceiros, e não conter linguagem inadequada. Comentários que não respeitarem estes pressupostos não serão considerados.


Por favor, digite seu nome aqui