Jornalistas da CEDEAO capacitados em “Jornalismo de investigação de crimes económicos e financeiros”

0

O seminário que estava a decorrer desde o dia 2, em Assine, Costa do Marfim, terminou ontem

Os Jornalistas da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, CEDEAO, receberem nos dias 2, 3 e 4, uma ação de capacitação em Jornalismo de Investigação de Crimes Económicos e Financeiros” na Costa do Marfim.

Nestes três dias do Seminário de Formação foram tratadas questões pertinentes que têm que ver com a forma dos Jornalistas lidar com o crime de branqueamento de capitais. De entre essas questões se destacam recursos para Jornalistas de investigação e as ferramentas de investigação digital, a ética no jornalismo investigativo, redigir as reportagens e verificações adicionais – publicação de uma reportagem de investigação no âmbito do branqueamento do capital, entre outros.

Este seminário que foi promovido pelo Grupo Intergovernamental de Ação Contra o Branqueamento de Dinheiro em África Ocidental, GIABA, visa estabelecer uma aliança sólida com os médias de forma concertada para a divulgação eficaz de informações sobre as questões de LBC/CFT, manter os média informados sobre a questão, e proporcioná-los de adquirir técnicas de pesquisa em matéria de recolha de informação e de investigação.

A formação contou com profissionais de vários órgãos da Comunicação Social dos diferentes países da CEDEAO, no caso de Cabo Verde o OPAÍS.cv foi o único órgão a participar.

COMENTE ESTA NOTÍCIA

Por favor digite seu comentário!


COMENTÁRIOS: O País defende a liberdade de expressão e o debate livre de ideias. Entretanto, todos os comentários são mediados pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Advertimos, no entanto, de que os comentários devem cumprir os critérios estabelecidos pela Coordenação Editorial, nomeadamente, não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem, não ofender o bom-nome de pessoas e instituições, não conter acusações sobre a vida privada de terceiros, e não conter linguagem inadequada. Comentários que não respeitarem estes pressupostos não serão considerados.


Por favor, digite seu nome aqui