Mais um detido no âmbito da “Operação Troia”

0

Foi na ilha do Sal que se encontrava mais um dos presumíveis integrantes da Operação Troia. O indivíduo, segundo a PJ, foi detido esta terça-feira, 3, no bairro de Hortelã de Cima

O detido, de sexo masculino, tem 36 anos, e vai ser transferido para a custódia na Cidade da Praia, onde irá responder por crimes de tráfico de drogas de alto risco e de associação criminosa para o tráfico.

Na sequência da detenção promovida pela PJ, foram apreendido na casa do indivíduo, além de elementos probatórios de conexão aos crimes que lhe são imputados, 16 barris de 200 litros cheios, 11 garrafas “trindade” de 5 litros, 1⁄2 garrafa de 5 litros “trindade”, 1 barril de 25 litros, todos cheios,  contendo um produto que se presume ser aguardente “grogue, e 28 barris de 200 litros que tresandava à grogue, vazios.

Os produtos aguardentes, conta a PJ, foram entregues à IGAE.

Com essa detenção, sobe para 14 o número de detidos no âmbito da Operação Troia, sendo que 11 encontram-se em prisão preventiva, dois sob TIR e este último que aguarda decisão do Tribunal.

Recorda-se que na sequência da Operação Troia, desencadeada no passado dia 3 de julho, no bairro de Eugênio Lima, na Praia, foram apreendidos 11.878 kg de Cocaína e seus derivados; 16.137.684 escudos; seis armas curtas – um makarov, dois walther, uma pistola transformada calibre 6.35, uma pistola semiautomática de marca star, um revolver –, e uma arma longa – espingarda caçadeira semiautomática de calibre 12; aproximadamente cinquenta munições e seis viaturas e detidas.

- PUBLICIDADES -

COMENTE ESTA NOTÍCIA

Por favor digite seu comentário!


COMENTÁRIOS: O País defende a liberdade de expressão e o debate livre de ideias. Entretanto, todos os comentários são mediados pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Advertimos, no entanto, de que os comentários devem cumprir os critérios estabelecidos pela Coordenação Editorial, nomeadamente, não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem, não ofender o bom-nome de pessoas e instituições, não conter acusações sobre a vida privada de terceiros, e não conter linguagem inadequada. Comentários que não respeitarem estes pressupostos não serão considerados.


Por favor, digite seu nome aqui