Manifestação “sima nu sta nu ka pode fika”: uma normalidade que causou estranheza.

3

Hoje, 19, ocorreu na cidade da Praia a manifestação cujo lema foi “Sima nu sta nu ka pode fika”.

Algumas considerações a propósito:

  1. Nas redes sociais por alguns dias foi passada a ideia de que ia cair o Carmo e a Trindade por causa da realização desta manifestação, esquecendo-se que o direito a manifestação é um direito constitucional que deve ser exercido sempre que necessário. Em outras paragens ninguém estranha a realização de manifestações, pois elas ocorrem com frequência e já estão naturalizadas. Por exemplo, em Bruxelas, no largo em frente as instalações da União Europeia, num único dia chega a ocorrer várias manifestações!
  2. A manifestação decorreu de forma ordeira e pacífica. Aos manifestantes foi permitido o que a lei lhes reserva nessa matéria e as autoridades policiais puderam fazer o seu trabalho de acompanhamento sem nenhum sobressalto. Isso vem provar que os cidadãos e as autoridades souberam dignificar a nossa Constituição da República e a nossa Democracia. A imagem e o bom nome de Cabo Verde saem reforçados aos olhos dos nossos parceiros internacionais. Estamos de parabéns!
  3. As motivações apresentadas para a realização desta manifestação não são surpresas para ninguém e são aceitáveis. Compreende-se que as pessoas possam, aqui e ali, estar insatisfeitas dado ao quadro atual. Pois, somos um país com muitos constrangimentos e que levou com três crises seguidas, designadamente a da seca severa, a da pandemia e a da guerra na Ucrânia, com esta última a impactar sobremaneira a qualidade de vida das pessoas, em razão da subida generalizada dos preços dos produtos, nomeadamente dos de primeira necessidade.
  4. Sim, não obstante as medidas encetadas pelo governo para mitigar a subida dos preços, constituindo um grande esforço financeiro, o certo é que os preços na origem conheceram subidas astronómicas. Portanto, é claro que os cabo-verdianos não estão satisfeitos e nem podiam estar assim como, por exemplo, não estão os ingleses que viram a inflação no mês passado ultrapassar a fasquia dos 10%, em que é preciso recuar a 1982 para se encontrar em Inglaterra registos de preços tão caros como os de hoje e que segundo estudos atuais vão atirar para a pobreza 11 milhões de ingleses, sim, 11 milhões de pessoas num único país!!!
  5. Quanto ao slogan “Sima nu sta nu ka pode fica” não passa de uma verdade óbvia, isto é, do que se generalizou chamar de verdade de La Palisse. Pois, pode soar bem ao ouvido, mas é vazio, não passa de uma tautologia e nos conduz ao lugar-comum. Foi uma escolha infeliz no meu entender porque nunca Cabo Verde quis continuar igual, pois ao longo da sua história sempre almejou e sempre conseguiu mais, pelo que com um pouco mais de esforço se poderia conseguir um melhor slogan.
  6. Por último, as reivindicações são legítimas e, com certeza, que o governo irá refletir sobre as mesmas e responderá sempre que tal for possível, pois tem o seu programa para cumprir e acredito que tudo fará para voltar aos níveis de crescimento que o país vinha conhecendo antes da pandemia…por isso, acredito que vamos caminhar com passos firmes e “sima nu sta nu ka ta fika”, pois o governo do Ulisses Correia e Silva “sempre leba Cabo Verde pa frenti”.

Vamos acreditar. Juntos vamos vencer a crise. Juntos somos mais fortes!!!

3 COMENTÁRIOS

  1. A situação que o País esta a passar, só é confortante para quem esta na situação e seus amigos, pois, esses a inflação não os atinge, na medida em que, tudo é garantido pelo erario publico.

Comments are closed.