MpD de Santa Cruz denuncia irregularidades na Câmara Municipal

0

Líder da Bancada Municipal, denunciou uma série de irregularidades e falta de transparência que têm ocorrido na gestão da Câmara Municipal, liderada por Carlos Silva

Ivanilda Vaz afirmou que de acordo com o regimento da Assembleia Municipal, as sessões ordinárias previstas para ocorrer trimestralmente, durante 2023, apenas realizou uma única vez em abril, para discutir e aprovar as contas de gerência e o plano de atividades de 2022.

“A Camara Municipal de Santa Cruz, liderado por Calos Silva, por mais incompreensível que pareça, tem colocada a Assembleia Municipal, à margem de vários dossiês que nunca passaram por este órgão deliberativo”, disse.

A Líder da Bancada do MpD apontou como uma das irregularidades um acidente de viação envolvendo uma viatura do Presidente da Câmara, ocorrido no passado mês de setembro, sem esclarecimento público sobre os detalhes do incidente, o estado do veículo e seu paradeiro.

“Para espanto dos Munícipes, em geral, o Presidente da Câmara Municipal, Carlos Silva, numa atitude de quero, posso e mando, logo no dia seguinte, passou a ser visto a circular num luxuoso veículo top de gama, um Lander Cruze TXL Toyota, cuja matricula ST-63-YM, avaliado em 9.000.000$00”, revelou.

A Deputada salientou que a viatura foi adquirido por hipoteca, através do BCA, “sem conhecimento e devida deliberação da parte da Assembleia Municipal, como manda a lei”.

O MpD destacou ainda que o projeto “Vitória Santiago”, uma parceria entre a Câmara Municipal e uma empresa privada para infraestruturação e venda de lotes de terreno na zona da Redonda, não foi submetido à Assembleia Municipal para aprovação.

“Denunciamos contratos de pessoal na Câmara Municipal de Santa Cruz, de forma ilegal, sem concurso publico e sem crivo da Assembleia Municipal, desconhecendo-se o número total do pessoal que labora na Câmara Municipal, havendo alguns, que aparecem apenas no dia do pagamento” assegurou.

Ivanilda Vaz vai mais longe revelando que alguns trabalhadores recebem salários inferiores ao salário mínimo estipulado para a Administração Pública, e há ausência de atualização salarial com o aumento concedido pela Administração Pública em janeiro de 2023.