MpD denuncia PAICV no Porto Novo por alegada compra de votos

1

Uma viatura, carregada com mantimentos alimentícios, foi flagrada na zona de Ribeira de Corujinha, nos arredores da Cidade do Porto Novo. A polícia foi prontamente acionada

          

A candidatura do MpD na Ilha de Santo Antão, denuncia o que considera ser “compra de votos” por parte dos adversários do PAICV, no Concelho do Porto Novo.

Damião Medina, Coordenador do MpD no Porto Novo e candidato a Deputado disse ao OPAÍS.cv que uma viatura Dina, foi flagrada na zona de Ribeira de Corujinha, nos arredores da Cidade do Porto Novo, carregada de mantimentos alimentícios que se destinam “à compra de votos”.

Segundo nos disse, a referida viatura “está ao serviço” do PAICV e da sua organização OMCV, liderada por Uiliana Monteiro, e de bairro em bairro estão a distribuir “sacos de batata e outros mantimentos alimentícios”.

Segundo nos informa, assim que a caravana do MpD se apercebeu da situação, a polícia foi acionada para o local e as pessoas foram identificadas.

As eleições Legislativas acontecem a 18 de abril. Para além do MpD e do PAICV, outros 4 Partidos estão na corrida.

1 COMENTÁRIO

  1. O PAICV TEM UTILIZADO TODOS OS MEIOS FRAUDULENTOS PARA A COMPRA DAS CONSCIENCIAS DOS MAIS NECESSITADOS E VULNERAVEIS. ALEM DO MEIO AQUI DENUNCIADO, O PAICV POSSUI POLOS EM TODAS AS INSTITUICOES PUBLICAS E PRIVADAS. NOS LUGARES E FUNCOES DIRETAMENTE LIGADOS AOS SECTORES SENSIVEIS AS RESPOSTAS QUE DESAGRADEM E RESULTEM NO DESVIO DAS INTENCOES DE VOTO. AS INSTITUICOES QUE POSSUEM TRABALHADORES EM PRESTACOES DE SERVICOS E QUE HABITUALMENTE RECEBEM PELOS SEUS TRABALHOS A QUATRO OU CINCO DIAS DEPOIS DAS CONTABILIZACOES VAO DESTA VEZ ALEM DOS DEZ DIAS. A VER VAMOS A VER O QUE FARAO OS RESPONSAVEIS DAQUELAS INSTITUICOES E TAMBEM DOS DO GOVERNO.

COMENTE ESTA NOTÍCIA

Por favor digite seu comentário!


COMENTÁRIOS: O País defende a liberdade de expressão e o debate livre de ideias. Entretanto, todos os comentários são mediados pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Advertimos, no entanto, de que os comentários devem cumprir os critérios estabelecidos pela Coordenação Editorial, nomeadamente, não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem, não ofender o bom-nome de pessoas e instituições, não conter acusações sobre a vida privada de terceiros, e não conter linguagem inadequada. Comentários que não respeitarem estes pressupostos não serão considerados.


Por favor, digite seu nome aqui