O Naufrágio de Odailson Bandeira

2

É engraçado constatar que o naufragado Odailson Bandeira fala de naufrágios de quem quer que seja. Mas é uma graça enfadonha, porque “é triste” ver um jovem que remete o PAICV para a terceira força política em Ribeira Grande de Santo Antão, proclamar publicamente o “cheiro de derrota” nas legislativas de 2021 para o MPD.

Mas, é mais “triste” nos apercebermos da servidão deste jovem marinheiro à uma Capitã do seu navio que, deliberadamente, provocou o naufrágio político de Odailson Bandeira nas autárquicas de 25 de outubro.

Sentindo-se isolado pela liderança do partido, a manobra política de Bandeira em Ribeira Grande de Santo Antão era clara: conseguir um bom resultado e impor a sua presença nas listas do PAICV para as legislativas de 2021, que ele próprio sabe que não está garantida. É sabido que as estruturas partidárias do PAICV em Santo Antão nunca estiveram alinhadas com a liderança de Janira Hopffer Almada, pelo que ter um bom resultado em Ribeira Grande seria a peça fundamental para que as estruturas da ilha impusessem Odailson Bandeira como candidato nas legislativas que se aproximam.

Janira Hopffer Almada não deseja a presença do Bandeira nas listas para as legislativas de 2021 e muito menos desejou a vitória deste nas autárquicas passadas. Aliás, de tudo fez para que o Paulino Dias (independente tambarina) ficasse à frente do candidato Bandeira, provocando assim o naufrágio da estratégia de Odailson.

O pior é que este, que remeteu o PAICV para a terceira força política em Ribeira Grande de Santo Antão, já nem tem legitimidade para exigir o que quer que seja, por não ter tido a força e a capacidade necessária de granjear toda a massa tambarina de Ribeira Grande e assim unir o partido desfragmentado. Ficou, pois, por provar a capacidade de liderança deste jovem náufrago.

Caro Bandeira, existe resultados que não podemos negar, e com isto cair numa forma de oposição oca e desnorteada. Óbvio que existem ainda mais desafios do que resultados. Aliás desafios que se adensaram com a crise pandémica provocada pelo COVID 19. Desafios estes que agora estão ainda mais comprometidos porque o PAICV não se disponibilizou para apoiar Cabo Verde com recursos para o combate ao covid-19, votando contra a proposta de lei que previa o aumento do limite do endividamento público em 2021.

“É triste” ver um jovem que remete o PAICV para a terceira força política em Ribeira Grande de Santo Antão, com estas atitudes e declarações.

2 COMENTÁRIOS

  1. Convenhamos que Odailsson Bandeira tal como o PAICV em Sto Antão foram vítimas da liderança da Janira H. Almada que de forma arrogante e infantil tem bloquear o relacionamento com varios líderes políticos de Sto Antão obrigando o PAICV a uma quase orfandade, particularmente na Ribeira Grande onde, não fosse a disponibilidade de Odailsson Bandeira, talvez a bandeira do Partido não seria içado nas últimas autárquicas . Quando OB assumiu o desafio, que mais ninguém queria, e nem a Janira se mostrava com solução alternativa, o PAICV da Ribeira Grande e de Sto Antão já estavam naufragados . E nós os militantes que apelamos a coragem e ousadia do Odailsson para que o PAICV não ficasse sem candidato na Ribeira Grande não aceitaremos qualquer jogo de bastidor para escorraçar OB das listas de Sto Antão, uma vez que ele não foi o responsável pelo ambiente criado no PAICV a ponto de mais ninguém querer ser o candidato do Partido na Ribeira Grande !

  2. Das duas uma: ou o paicv está a preparar uma mega fraude para ganhar as eleições de março de 2021, ou o paicv já deu por perdidas as eleições de 2021. O partido da jha ainda não acordou para as eleições do ano que vem e continua em “modo festas “, em alternância com o “modo triunfalismo” a ponto, imagine-se até de fazer pouco do trabalho do adversário, a mesma sina que derrotou o MpD na Praia. Em ambos os casos esta loucura da presidenta é muito bom e o que mais convém para o MpD que já acordou para a realidade de ter de suar a camisa para ganhar.

Comments are closed.