O novo rumo “des-rumado”

Desde 2020, altura em que o PAICV assumiu o poder em Ribeira Grande de Santiago, o município encontra-se literalmente negligenciado devido a uma má gestão, aliada à falta de visão e, sobretudo, à inexistência de ambição estratégica para conferir a Ribeira Grande de Santiago o prestígio que merece.

As políticas para a juventude têm sido frequentemente relegadas para segundo plano nas prioridades do PAICV. Se observarmos as ações da Câmara Municipal, nota-se um enorme vazio no que diz respeito às políticas destinadas à juventude. Se consultarmos os planos de atividades da Câmara com cuidado, a juventude tem um destaque notável, não pelos motivos certos, não se destacando pela reflexão, elaboração ou, sequer “fazer”.

Para além disso, a autarquia toma como sua maior obra o estádio municipal de São Martinho, ignorando que o mesmo foi construído pela equipa anterior liderada por Manuel de Pina, estando até mesmo relvado, faltando apenas a sinalização e as balizas. É lamentável que a atual equipa camarária não tenha sido capaz de concluir este projeto.

No entanto, as promessas de uma capacitação massiva dos jovens não se concretizaram até o momento, sendo que essa responsabilidade tem sido assumida principalmente pelo Centro de Formação e Capacitação de Ribeira Grande de Santiago. Além disso, lançam agora a primeira pedra para a construção de um campo relvado de sete na localidade de Porto Mosquito, o que parece ser uma zombaria em relação à nossa juventude.

Não podemos esquecer também os problemas com os transportes escolares que afetaram os nossos estudantes no início dos anos letivos. Esta é a forma como os jovens estão a ser tratados? É este o novo rumo? Assim, estamos a assistir a um novo rumo “desrumado”.

Ao invés de enviar os jovens “a desenrascarem-se”, o MPD e a sua Juventude têm algumas propostas estruturantes para capacitar os nossos jovens em várias áreas. Entendemos ser essencial reforçar e reorganizar os serviços de juventude para enfrentar melhor os desafios, criando uma estrutura ágil e mais eficiente.

A nossa prioridades será criar um ecossistema que favoreça a nossa juventude. Desejamos implementar espaços multifuncionais que permitam encontros regulares de jovens, incluindo gabinetes de apoio aos jovens, reconstrução e reabilitação de polidesportivos, apoio ao empreendedorismo jovem, programa de emprego e direcionado em colaboração com organizações da sociedade civil e políticas públicas para a empregabilidade. Incentivar o voluntariado, apoiando os jovens que fazem parte das organizações sem fins lucrativos e de natureza social, cultural e desportiva.

Em suma, apoiar os jovens nas suas próprias dinâmicas para que possam fazer o que desejam em liberdade, porque essa dinâmica é força motriz transformadora valiosa para todas as gerações da nossa ribeira. Não podemos desperdiçar como o PAICV tem feito, pois o perigo inerente é a gestão constante do declínio.



COMENTE ESTA NOTÍCIA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui