O pai do populismo cabo-verdiano: José Neves

1

O sr José Maria Neves resolveu novamente criticar, com falinhas mansas, o “deslumbramento” do actual Governo – que, por acaso, em apenas 3 anos, apresenta até MELHORES indicadores e resultados do que ele em 15 anos… – e alertou a nação no sentido de evitar, o quanto antes, as ameaças “populistas”.

Ora, a nação cabo-verdiana NÃO precisa de evitar esse tipo de ameaças, já que, inteligentemente, afastou do horizonte da governação, em tempo hábil, as políticas POPULISTAS e assistencialistas do senhor Neves e companhia, que só geraram, de resto, um crescimento económico raso, uma dívida pública galopante e um desemprego assustador.

Não deixaram saudades. A truculência já deu o que tinha para dar.

A melhor definição da “governança” nevesiana: uma década e meia perdida!

Quo vadis, ó insensato discípulo de Maquiavel?

1 COMENTÁRIO

  1. O Governo do MpD tem facilitado a vida a este senhor Jose Maria Neves. O inquérito sobre as barragens vai fazer cair a máscara de homem sério. Casa Para Todos irá confirmar. O Fundo do Ambiente, quando for a julgamento, terá o governo do Neves no banco de réus. Para o PAICV é mais cômodo apoiar Aristides Lima, até ao momento com mãos limpas. Única governou e tem apoiantes dentro e fora do PAICV. Por outro lado, Neves tem uma moralidade duvidosa, no seu relacionamento com as colaboradoras e no nepotismo. Também, nunca um dirigente dividiu esta sociedade tanto como ele. Basta ouvir de novo as intervenções na Assembleia.

Comments are closed.