PM perspetiva retoma de voos internacionais até julho

1

Antes, em junho, deve ocorrer a retoma das ligações aéreas interilhas, e no mês seguinte, estima-se as ligações internacionais. Com a retoma dos voos, o turismo pode recomeçar desde que salvaguardados os aspetos de segurança sanitária

          

Com o Covid-19 como pano de fundo, Ulisses Correia e Silva esteve ontem, quarta-feira, 20, em entrevista ao Fórum África, programa informativo da RTP África.

O Primeiro-Ministro adianta que é necessário “sobreviver” à pandemia que assola o mundo, para depois se “lançar, recuperar e colocar” o turismo como setor gerador de rendimentos. Entretanto, UCS adverte que para a retoma do turismo, há que haver a retoma dos transportes aéreos, sobretudo ao nível internacional, permitindo, assim, a mobilidade de pessoas, o que se perspetiva entre junho e julho, mas depende, também de países terceiros e das novas regras que se vão adotar.

Em junho, perspetiva-se a retoma das ligações aéreas interilhas, e no mês seguinte, estima-se as ligações internacionais. Com a retoma dos voos, o turismo pode recomeçar desde que salvaguardados os aspetos de segurança sanitária.

“A segurança sanitária vai ser um fator preponderante para a retoma da confiança”, adiantou o PM, para quem Cabo Verde pode ser um destino turístico de “alto nível” de segurança sanitária. Neste contexto, precisou, o Governo quer “posicionar” a Ilha do Sal como um dos destinos mais seguros no País, alinhado com os padrões internacionais, sobretudo com a Europa.

Quanto à Cabo Verde Airlines, o PM adiantou ser “necessário” a retoma das operações, e sublinhou que a companhia de Bandeira é um “instrumento fundamental” de operacionalização do conceito de hub aéreo que o Arquipélago “quer e tem condições de desenvolver”. UCS assegurou que o seu Governo “não vai deixar cair” a companhia, estando o Governo, enquanto accionista empenhado na salvaguarda da marca.

1 COMENTÁRIO

  1. https://istoe.com.br/lufthansa-a-um-passo-de-ser-resgatada-pelo-estado-alemao/
    Em Cabo Verde, integrantes do ‘GO’ – Gabinete de Ódio do Paicv -, acha ‘crime’ o Governo de Cabo Verde não deixar cair a CVA. A maior economia da Europa faz o mesmo para não deixar cair sua maior companhia nacional. Dizem os turbantes amarelos do GO: ah mais a Lufthansa é alemã. Pois, claro está. E a CVA está registada aonde; não é na Praia que paga seus os impostos

Comments are closed.