PR condena atitude de “heróis” face ao Covid-19

1

Mais alto magistrado da Nação socorreu-se da sua conta pessoal na rede social Facebook, para denunciar atitudes que podem perigar o sucesso do combate à pandemia

          

O Presidente da República está preocupado com a atitude de certas pessoas, que insistem em desobedecer as “ordens e instruções fundamentais” num regime de estado de emergência.

Numa publicação na sua conta na rede social Facebook, Jorge Carlos Fonseca referiu-se a “heróis equivocados” que, a seu ver, podem ser correias de transmissão do vírus do Covid-19, nas respetivas comunidades.

“Se o problema fosse apenas de exposição individual à doença e ao perigo de vida, até se poderia aceitar um estranho modo de enfrentar riscos, de exercício da autonomia individual. Porém, o “herói”, afinal, pode ser um perigoso inimigo de outrem e, a partir deste, de outros tantos, e aí por diante. De uma comunidade inteira”, condenou o PR.

Embora sem se referir a ninguém em concreto nem a uma ilha específica, fica-se com a clara sensação que o Chefe de Estado se refere à Cidade da Praia na ilha de Santiago onde o estado de emergência foi prorrogado, desde a meia-noite de ontem, e também onde se regista várias denúncias de pessoas aglomeradas, em convívios e até jogos de futebol.

Leia a publicação do PR.

No meio desta crise, aparecem, amiúde, alguns desobedientes às ordens e instruções fundamentais para o combate, com sucesso, à epidemia, arvorando-se em corajosos, em gente destemida e «livre», quase heróis.

Mas heróis completamente equivocados. Se o problema fosse apenas de exposição individual à doença e ao perigo de vida, até se poderia aceitar um estranho modo de enfrentar riscos, de exercício da autonomia individual. Porém, o «herói», afinal, pode ser um perigoso inimigo de outrem e, a partir deste, de outros tantos, e aí por diante. De uma comunidade inteira.

É preciso, pois, que se dê combate firme e adequado aos heróis do equívoco, muitos deles, «heróis» bem esclarecidos e instruídos.

1 COMENTÁRIO

  1. É preciso que se diga: já não é mais o “inimigo invisível” que mais incomoda, mas sim esse bando de idiotas que andam distribuindo o coronavirus de bairro em bairro, de família em família, de amigo para amigo. É preciso ter mão dura Governo. É preferível ter cadeia cheia que enfermarias sem lugar para acomodar mais um.

Comments are closed.