Próximo desafio de Cabo Verde é salvaguarda da Morna – Presidente do IPC

0

Depois da subscrição da Morna na lista indicativa de Património Mundial, o maior desafio será a materialização do plano de salvaguarda, conforme sublinhou o Presidente do Instituto do Património Cultural

De acordo com o Presidente do IPC, “o plano de salvaguarda tem o seu custo e é necessário alocar recursos para o efeito. É necessário mobilizar a Sociedade civil em torno da implementação da convenção, particularmente do plano da salvaguarda. É preciso apostar na questão da formação, na investigação, na criação de centros de estudo ligados à temática, neste caso a Morna”.

O responsável realçou o papel da Comunicação Social nessa matéria de divulgar os trabalhos que estão sendo feitos e na preservação da Morna, afirmando que é “preciso educar para a cultura, e nada melhor que a Comunicação Social, tendo em conta o seu alcance”, indicou.

O Ministério da Educação e as escolas, segundo Jair Fernandes, também são “atores importantes” neste procedimento de salvaguarda, pois cabe a eles assumir o papel pedagógico de ensinar aos alunos a cultura Cabo-verdiana no seu todo e, neste caso, em especial a Morna.

Jair Fernandes realçou o fato de a Morna vir a ocupar um espaço especial e talvez, passar a representar pelo menos 60 a 70% das músicas que passam diariamente nas rádios nacionais e nas televisões públicas e privadas.

A Morna foi inscrita na lista dos patrimónios da Humanidade, mas entre os dias 9 e 14, pode ser anunciada Património da Humanidade, durante a reunião do Comité do Património Cultural Imaterial da Unesco, em Bogotá, Colômbia.

Com Inforpress

COMENTE ESTA NOTÍCIA

Por favor digite seu comentário!


COMENTÁRIOS: O País defende a liberdade de expressão e o debate livre de ideias. Entretanto, todos os comentários são mediados pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Advertimos, no entanto, de que os comentários devem cumprir os critérios estabelecidos pela Coordenação Editorial, nomeadamente, não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem, não ofender o bom-nome de pessoas e instituições, não conter acusações sobre a vida privada de terceiros, e não conter linguagem inadequada. Comentários que não respeitarem estes pressupostos não serão considerados.


Por favor, digite seu nome aqui