Ribeira Grande de Santiago. “Quem te viu e quem te vê?”

2

O Paicv quer a Câmara da Ribeira Grande de Santiago a qualquer preço.

          

No sistema democrático é normal que o Paicv tenha esse desejo. Mas, só desejo não chega.

Nesse concelho o MPD tem obras fortes e seguras. E isto faz toda a diferença.

O MPD tem de assegurar essa Câmara. E acredito que da mesma forma que a figura do Ulisses Correia e Silva pesou na vitória de 2016, voltará o seu apelo a funcionar em 2020. O Ulisses terá uma voz importante neste Concelho, pois que é o responsável máximo do êxito da parceria entre o Governo e a Câmara Municipal de Ribeira Grande de Santiago.

Esta parceria funcionou em cheio.

O Paicv não tem candidato nem programa para esse Concelho. O que o Paicv quer é fazer vingança na Ribeira Grande de Santiago.

Dizem que caso o Paicv for eleito, a primeira medida é mandar fazer uma auditoria às alegadas irregularidades do Manuel de Pina. Querem mandar passar a pente fino a gestão do Manuel de Pina. E dizem que a justiça tem de ser feita.

Que ameaças são essas contra um eleito municipal, um presidente que o povo confiou três mandatos, para governar a Câmara da Ribeira Grande de Santiago?

É a pura vingança política contra o Manuel de Pina, que revelou ser um autarca sério. Não é de hoje a vontade do Paicv para derrubar o Manuel de Pina!

O Paicv é de facto um partido de vingança política e continua a perseguir os autarcas, a incriminá-los e a chamá-los de Delegado do Governo.

2 COMENTÁRIOS

  1. Ribeira Grande, berço da Nação é resistente e resiliente. É pelo berço da Nação que o Paicv nutre os seus maiores ódios e desejos de vingança. Em 15 anos de governação tambarina o município não foi contemplado com um único contrato-programa, enquanto que José Gomes da Veiga, presidente da comissão de instalação da câmara nadava no dinheiro. JMN, enquanto primeiro ministro, em duas ocasiões chegou mesmo a visitar o municipio sem avisar e avistar o presidente de câmara, tal o ódio que ele nutre pelo Manuel de Pina. Mas também é da Ribeira Grande de Santiago que o Paicv tem o maior espinho trancado na garganta dos seus caciques: Manuel de Pina, enquanto presidente da associação dos municípios de Cabo Verde levou o PGR sentar no bancos dos réus importantes caciques tambarinas como Antero Veiga, Moisés Borges e muito provavelmente o próprio JMN e Cristina Duarte, e muitos outros implicados direta ou indiretamente no escândalo do Fundo do Ambiente. Ribeira Grande é maior dedejo de consumo. Pelos vistos, o Paicv vai ter de esperar. O município do património Mundial da Humanidade não é coisa para garotinhos mimados que bem português domina e Jandira ou não compreende nada disso ou não tinha mesmo outra alternativa.

Comments are closed.