ULISSES CORREIA E SILVA: 13 de Janeiro representa viragem em Cabo Verde

1

PM comentou as manifestações e alertou que, quando realizadas, devem ocorrer no quadro da lei e regras, com tranquilidade e sem violência

O 13 de Janeiro representou uma “viragem” e marcou a entrada de Cabo Verde no concerto das Nações democráticas. Está é a leitura do Primeiro-Ministro e Presidente do MpD, Partido que venceu as primeiras eleições multipartidárias realizadas no Arquipélago, em 1991.

Ulisses Correia e Silva acentua que as primeiras eleições representaram, igualmente, para além de liberdade política, liberdade económica, mais cidadania e uma “forte vontade” de fazer desenvolver o País.

No momento em que Cabo Verde assinala o 28.º aniversário da Liberdade e Democracia, o PM não deixou de fazer referência às manifestações, e observou que elas são expressão da democracia e da liberdade, mas advertiu que, a serem realizadas, devem ser feitas no quadro da lei e das regras, com tranquilidade e sem violência.

“Há interesses políticos e partidários a incitar determinados tipos de manifestações”, pontuou, admitindo que as manifestações são, igualmente, “sinal de vitalidade” da democracia.

UCS assegurou, no entanto, que o seu Governo não se sente afetado “nem por ameaças nem por qualquer pressão” para resolver coisas que não estejam ao alcance do País nem ao alcance do programa de desenvolvimento.



1 COMENTÁRIO

  1. Esteve a ver o suposto “jornalista independente da NOSSA CS PUBLICA” Waldemar Pires a meter NOJO com as perguntinhas manhosas,servicinhos “independente”, “protestos da sociaedade civil” “a pedir democracia plena”… ao PM, queria também deixar claro que se ele TIVESSE VERGONHA na cara, RESPEITO PELA PROFISSÃO DE JORNALISMO já não ocupava o lugar de jornalista que tem que ser independente, numa democracia avançada seria logo corrido da profissão apartir do momento que decidiu ser jornalista/politico ao mesmo tempo, ou se tivesse DIGNIDADE entregava a carteira de jornalismo! atenção o cidadão Waldemar Pires tem todo o direito em ser politico, mas o jornalista pago por todos Cabo-Verdianos, ai já entra o tráfico de influências, corrupção, manipulação da opinião publica….etc.

Comentários estão fechados.