Ulisses pede vitória clara no dia 18

1

Atual Primeiro-Ministro arranca campanha no Norte do País e pede vitória clara para poder governar com estabilidade

          

O Presidente do MpD foi a Santo Antão e São Vicente marcar o início da campanha para a sua reeleição no dia 18 de abril, e diz-se confiante numa vitória que espera que seja clara.

Ulisses Correia e Silva reconhece que o primeiro mandato foi marcado por travessias “muito duras”, com seca severa e pandemia, mas garante que o seu Governo conseguiu colocar o País num “porto seguro”.

A partir de Santo Antão, onde ontem apresentou a lista concorrente a Deputados, encabeçada por Jorge Santos, atual Presidente da Assembleia Nacional, o líder democrata espera que depois da retoma haja mais caminhos seguros para todos os Cabo-verdianos.

O Presidente do MpD aponta para a retoma da vida social e económica mas antes precisa que no dia 18, os Cabo-verdianos lhe dêm uma maioria parlamentar que garanta a estabilidade governativa.

Para a próxima Legislatura, Ulisses aponta para o desenvolvimento sustentável, meta que se propõe atingir. A atual crise, observa, “pôs muita coisa em causa”, mas a partir do próximo mandato é necessário “relançar” a economia, a vida social e “diversificar” a economia nacional, a par da criação de condições para se criar “novos empregos”.

UCS lidera a candidatura do MpD em Santiago Sul, região onde também concorrem a UCID, o PP, o PSD, o PAICV e o PTS.

Para as eleições estão registados nos Cadernos Eleitorais um total 393.166 eleitores que vão eleger 72 Deputados, entre os 597 concorrentes, com 307 candidatos do sexo masculino e 290 do sexo feminino.

1 COMENTÁRIO

  1. Porque razão o MPD deve ficar esperto nessas eleições e não se ficar só pelo “online”? Porque, como já está provado, o Paicv e JHA não têm uma boa relação com a verdade. E pior, fazem a questão de deixar claro que mentem porque é no reino da mentira que eles se dão muito bbem. A milícia digital tambarina adota os mesmos métodos da ditadura de Nicolas Maduro, dos barbudos do Irão. No seu último número, o jornal A Nação, propriedade do Paicv e que tem nos pais da JHA seus principais acionistas, resolveu declarar guerra de conhecimento ao FMI e ao Governo. Diz o atrevido jornal que ambos tropecearam (FMI e Governo). Bom antes de ir mais longe na leitura, decidi, como sempre faço, dar uma vista de olhos ao CVs dos jornalistas/economistas do Paicv. São eles: José Vicente Lopes, Daniel Almeida, Alexandre Semedo e o José Augusto Sanches. Ora, ora fala sério! Dei-me comigo a perder o meu precioso tempo com essa turma de ignorantes. A turma vai mais longe, assinalando os “tropeços” do FMI. E que são os integrantes dessa tropa de ignorantes? Um jornalista que baloiça entre a extrema esquerda e esquerda caviar, um semianalfabeto de 2 Ano do Ciclo Preparatório, um militar frustrado e anarquista formado em Cuba. É pois essa turma que resolveu dá aulas de economia ao FMI. É evidente que o artigo tem o selo de ignorância que caracteriza o Avelino Bonifácio, que é, grosso modo, a soma das ignorâncias dos anteriores.

COMENTE ESTA NOTÍCIA

Por favor digite seu comentário!


COMENTÁRIOS: O País defende a liberdade de expressão e o debate livre de ideias. Entretanto, todos os comentários são mediados pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Advertimos, no entanto, de que os comentários devem cumprir os critérios estabelecidos pela Coordenação Editorial, nomeadamente, não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem, não ofender o bom-nome de pessoas e instituições, não conter acusações sobre a vida privada de terceiros, e não conter linguagem inadequada. Comentários que não respeitarem estes pressupostos não serão considerados.


Por favor, digite seu nome aqui