ÚLTIMA HORA: Português suspende greve de fome à porta do CCV

4

Esposa já teve visto, depois de um encontro no CCV que terá demorado mais de uma hora

O cidadão português que estava há 4 dias em greve de fome, à porta do Centro Comum de Vistos, CCV, na Cidade da Praia, acaba de suspender a greve.

A suspensão ocorreu por volta das 15h30, altura em que a esposa que estava no interior do CCV, desde as 14 horas, saiu de uma audiência. O marido, Carlos Guterres, mostrou o passaporte da Cabo-verdiana e confirmou que já tinha conseguido o visto.

Há cerca de duas semanas que Dulce Guterres viu recusado um visto de entrada em Portugal, para onde pretende viajar nos próximos dias com o marido para as festas natalícias.

Carlos Guterres que há oito anos reside em Cabo Verde, entrou em greve de fome na segunda-feira, num claro sinal de protesto à recusa do visto à sua esposa.

Aos Jornalistas, o português sublinhou que o visto agora conseguido não é nenhum favor de ninguém.

“Algo está mal, é uma injustiça” criticou, numa alusão aos serviços do CCV na Cidade da Praia.

Embaixada posiciona

Entretanto, a Embaixada de Portugal em Cabo Verde acaba de emitir um comunicado em que afirma: “após ter sido verificado, pelo serviço competente, que a requerente cumpria os requisitos legalmente fixados, foi concedido hoje, pelo Centro Comum de Vistos da Cidade da Praia, Cabo Verde, o visto de entrada em Portugal solicitado pela Sr.ª D. Dulce Leal de Brito Guterres Pereira”.

4 COMENTÁRIOS

  1. Então quer dizer que antes es ka tinha verificado si documento dretu. Ou es staba cegu ou es sta ta fazi trosa de alguem ness terra. se kel portugues ka poba greve di fome coisa ta ficaba pa la. so pa odja ma centro comum de visto e embaixada de portugal sta sta trosa de cabo-verdiano. es sta trabalha moda merda.

  2. Boa noite esse senhor mostrou a verdade que tds nos já sabemos que isso acontece Tds os dias e cv dar vistos sabemos que é uma coisa mais deficil para tds os cabo-verdianos Esse senhor é português desde a nascença se casou a três anos e aqui em Portugal tds nós sabemos que a lei portuguesa diz que se és casado com um português no mimimo 3 anos tens defeito a nacionalidade portuguesa e se és casada recente tens direito a europeu Entao pq tanta palhaçada em Ccv de cabo verde pq ????? Eu no mês de julho agistes estive em cabo verde e quis trazer os meus pais para feria o meu pai já viveu em Portugal Miguel Ramos semedo e já se encontra em cv a mais de 20 anos e a mais de 12 anos que não trabalha pq teve AVC e ficou com o lado esquerdo paralisado e a minha mãe nunca saiu de cv e sempre foi uma senhora trabalhadora cuidou d tds nos e quis dar umas férias para eles mas meu pai n quis disse me para dar só a minha mãe MARIA AUGUSTA PEREIRA DA VEIGA para vir conhecer mas fui pedir visto paguei td que tinha que pagar fia seguro d viagem e negaram o visto para ela uma senhora com 59 anos nem vem trabalhar nem vem para ficar apenas passar férias conhecer o país sair do país natal e conhecer outros lugares mas em fim não lhe deram vistos eu só pergunto pq ?????

  3. Isto é uma vergonha de autorizar o visto só apos a greve de fome e depois vir com um comunicado que coloca ainda mais em causa a dignidade e o profissionalismo deste ccv .será que todas as pessoas que não conseguiram o visto devem seguir o mesmo caminho deste português?

  4. Sou portuguesa, casei em Março com um cabo verdiano em cabo verde. Colocamos o pedido de visto em junho e passado dois meses, meu marido foi chamado para uma entrevista. Passado dois dias foi chamado, para lhe darem a suspensão porque acharam que pode existir slguma coisa prejudicial do processo que tem que ser investigado pela autoridadrs judiciárias. O visto está suspenso desde 28 de agosto. Depois de várias tentativas de contato, emails, cartas registadas a pedir para uma audiência para saber o porquê da suspensão e se existe algum documento que possa estar em falta, se me podem esclarecer se ainda pode demorar vários meses, porque preciso orientar a minha vida para poder pelo menos ir duas vezes a cabo verde para estar com o meu marido…..e facilitava a compra das viagens com antecedência. Até a data de hoje, tanto na embaixada de Portugal como no centro comum de visto, não obtive qualquer tipo de resposta….nada…..simplesmente é transmitido ao Sr. Segurança , que tenho que esperar a resposta……que não sei quando vai sair, pode ser dias , meses , anos…..e viver na tristeza, no sufoco, não poder ser feliz só lado da pessoa que se ama e escolhemos para fazer parte da nossa vida. Estou triste, magoada, revoltada, todos os cidadãos têm direito a informação. Todos temos direitos , que nos são negados todos os dias.

Comments are closed.