Um saco cheio de nada

Durante campanhas eleitorais há sempre muitas promessas e planos. Em 2020, nas eleições autárquicas, o PAICV, como sempre, prometeu mundos e fundos para a juventude Praiense. Agora, em 2023, pouco ou nada foi realizado. Assim, vamos percorrer um pouco pelas promessas feitas à juventude da Praia e que ainda não foram cumpridas.

Nas promessas para a juventude contavam vários itens. Sendo elas: Criação da Bolsas Atleta, criação de programas caça talentos nas mais diversas áreas (Desporto, Formação e Cultura), organização anual de eventos com olheiros vindos da Europa e das Américas.

Atualmente na cidade da Praia existem, aproximadamente, 12 escolas de iniciação desportivas. Nas escolas de iniciação desportivas temos jovens que frequentam o ensino secundário e que possivelmente vão para a universidade.

A atual equipa camarária, aquando das eleições 2020, prometeu duas importantes ações voltadas aos jovens que estudam e praticantes de desporto: Bolsa atleta e programas de caça talentos.

De entre as promessas mencionadas, até este ano, 2023, nenhuma delas foi executada. Além de não serem cumpridas, a atual liderança camarária não faz menção às promessas nos sucessivos planos de atividades. Sendo que dificilmente conseguem cumprir os planos de atividades. Do mesmo modo, até o presente momento não foi realizado nenhum programa Caça Talentos e a juventude Praiense pergunta: para quando teremos essas promessas realizadas ou continuarão sendo reles promessas de campanha?

Na mesma campanha, a atual gestão da Câmara Municipal da Praia prometeu organizar anualmente eventos com olheiros desportivos vindos das Américas e da Europa. Uma promessa ambiciosa e que agradaria muitos desportistas. Porém, tudo isso não passou de promessas e em contrapartida, a atual equipa camarária, nos deu de presente uma má gestão de espaços desportivos. A título de exemplo, temos o Estádio da Várzea (Estádio Luis da Silva Bastos) que cai aos pedaços e diversos campos relvados que não estão a ser feitas as devidas manutenções da relva.

Entre 2008 e 2020 a cidade da Praia teve um crescimento e desenvolvimento que agradou a todos que aqui viviam ou estavam de passagem. Contudo, desde a segunda metade de 2022, a cidade da Praia vive o pior momento dos últimos 20 anos. Os eventos culturais cingem aos que já existiam, não há grandes eventos desportivos e, pior, há uma enorme degradação de tudo o que foi herdado. Todavia, acredito que voltaremos a ver a Cidade a brilhar. Acredito que a Cidade da Praia voltará a ter a notoriedade nacional e internacional que teve outrora e que a juventude Praiense não irá receber um saco cheio de nada uma vez mais.

2 COMENTÁRIOS

  1. Jovem Martins
    TE entendo perfeitamente mas se nao tinham desviados os Fundos do Ambiente e de Turismo de TAL forma como o Sistema do Mpd e a CMP desviaram penso eu que as coisas teriam paradigmas diferentes, NAO achas tambem?

    • Desvios dos fundos do ambiente e de turismo os caboverdianos sabem quem os cometeu e destribuidos a associações de camaradas

Comments are closed.