Vacinação dos professores decorre “dentro da normalidade”

0

Informação foi avançada pelo Ministro da Educação, reafirmando o compromisso do Governo em vacinar todos os professores até o início do próximo ano letivo, em setembro. DN de Saúde pede organização por forma a evitar aglomerações

          

O Ministro da Educação disse hoje que a campanha de vacinação dos professores está a decorrer “dentro da normalidade”.
Amadeu Cruz reafirmou o objetivo de vacinar todos os professores até setembro, antes do próximo ano letivo.

“O processo de vacinação dos profissionais da educação está a correr dentro da normalidade e, paulatinamente, vão ser vacinados todos os professores e demais funcionários das escolas, de modo a arrancarmos o próximo ano letivo em segurança e com confiança”, escreveu numa publicação feita na sua página da rede social Facebook.

A vacinação desse grupo arrancou no início da semana, em vários Concelhos do País.

O Governo quer vacinar todos os professores, porque elegeu como prioridade para o próximo ano letivo as aulas presenciais e a tempo integral. Entretanto, para isso todos os docentes devem aderir à vacinação. “Apelamos a todos os professores e demais funcionários das escolas para aderirem à vacinação de uma forma massiva, para que possamos iniciar o ano letivo 2021/2022 com maior segurança no ambiente escolar”, disse o governante.

Essa participação, entretanto, diz o Diretor Nacional de Saúde, deve ser feita de forma organizada, no sentido de se evitar aglomerações.

“Estamos a organizar para que não haja muita aglomeração e não interfira no trabalho das pessoas,” assegura o DN de Saúde.

COMENTE ESTA NOTÍCIA

Por favor digite seu comentário!


COMENTÁRIOS: O País defende a liberdade de expressão e o debate livre de ideias. Entretanto, todos os comentários são mediados pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Advertimos, no entanto, de que os comentários devem cumprir os critérios estabelecidos pela Coordenação Editorial, nomeadamente, não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem, não ofender o bom-nome de pessoas e instituições, não conter acusações sobre a vida privada de terceiros, e não conter linguagem inadequada. Comentários que não respeitarem estes pressupostos não serão considerados.


Por favor, digite seu nome aqui