Voltamos à época do “UIPO”

1

Enquanto o Júlio Correia chorava por se ter dado o fim de comissão do serviço à sua esposa, que vinha exercendo função há mais de 5 anos, e apelidava o ato do governo de rabentolismo, o Francisco Carvalho e o Paicv em um mês, demitiram todos os diretores da Câmara Municipal da Praia. É caso para se dizer que voltamos à época do “UIPO.”

Na verdade, o uipismo deve ser combatido com toda a força e determinação, pois o seu alastramento trará consequências nefastas incalculáveis para o país e para os cabo-verdianos.

Por isso, pergunta-se: Onde para o lema “Praia para todos”?

O “uipismo” começado nas Câmaras ganhas pelo Paicv é só um cheirinho do que pode ser a gestão do país caso os Uipos vierem a ser poder.

1 COMENTÁRIO

  1. O “Expresso das Ilhas” transformou-se numa espécie de “Avante”. Entrevistou o escritor Germano Almeida e, páginas as tantas o escritor saiu com essa: “que o Estado deve ser de previdência e que a covid mostrou isso mesmo “. Ora, a Covid mostrou que devemos trabalhar na criação de riqueza e de renda para as pessoas e na fiscalidade amiga das empresas, num ambiente liberal, algo que o Germano combateu no jornal Semana, para que em momentos de crise lançar mão às pessoas poupanças. Ou seja, aquilo que aplicamos no combater a covid foi o resultado do trabalho e de uma visão que proporciona a criação de riqueza. Não foi o Estado mas a sociedade de ué gerou esta almofada e, com a ajuda dos parceiros e um governo de rosto humano sobrevivemos. Não é Estado tambarina que nos permitiu sobreviver a vivid. Volta e meia, esses comunistas nos visitam com suas teorias estapafúrdias.

Comments are closed.