António Monteiro recusa pelouros a tempo inteiro para trabalhar para São Vicente

2

Há quem admita que uma das razões é para poder acumular salário de Vereador a tempo parcial e de Deputado da Nação, o que a vereação a tempo inteiro não o permitiria

Continua a saga de António Monteiro contra a Câmara Municipal de São Vicente. Após derrota nas urnas, os 3 Vereadores desse Partido querem impor ao Presidente da Câmara Municipal, Augusto Neves, que Pelouros querem liderar no novo Executivo municipal. Augusto Neves não cedeu às chantagens políticas de António Monteiro e a reunião que era para distribuição de Pelouros foi inconclusiva. António Monteiro não permitiu que seus pares de Partido participassem na votação. Apenas o MpD e PAICV votaram.

António Monteiro que não quer deixar a função de Deputado da Nação para se ocupar como Vereador no Mindelo, chegou mesmo a exigir para ele e seus colegas da UCID, os pelouros do Urbanismo, Gestão do Território e área Social, contrariando a decisão do Presidente da Câmara Municipal. Há quem admita que uma das razões é para poder acumular salário de Vereador a tempo parcial e de Deputado da Nação, o que a vereação a tempo inteiro não o permitiria.

Propostas

Augusto Neves propôs atribuir pelouros a todos os Vereadores, incluindo os da UCID e do PAICV. Ele, Augusto Neves, para além das funções inerentes ao Presidente da Autarquia, fica com os pelouros das Finanças, Atividades Económicas, Planeamento Estratégico, Urbanismo, Ordenamento e Gestão do Território, Proteção Civil e Fiscalização e Segurança. Samara Sousa, MpD, tutela a área da Cultura, Turismo, Desporto e Juventude, Espaços Culturais Municipais, Bibliotecas, Arquivos e Museus, Protocolo, Comunicação e Imagem. Rodrigo Rendall, MpD, com as áreas da Ação Social e Desenvolvimento Local, Promoção da Habitabilidade e Equipamentos Sociais, Infância e Proteção de Menores, Modernização Administrativa e TIC, Gestão Patrimonial e Contratação Pública. E José Carlos da Luz, também do MpD, vai tutelar os setores do Ambiente, Saneamento e Abastecimento, Solos e Informação Geográfica, Cadastro e Toponímia Municipal, Espaços Verdes e Jardins, Desenvolvimento Rural e Política Animal, Cemitérios e Gestão Cemiterial.

Para os 3 Vereadores da UCID, o Presidente sugeriu a António Monteiro, as pastas dos Transportes e Equipamentos, Gestão e Manutenção da Frota e Oficinas, Energias, Iluminação Pública e Tecnologia, Segurança Rodoviária, com mandato a tempo pleno, para a Vereadora Neusa Sança, foi atribuído as Atividades do Mar, Mercados Municipais, Feiras e Atividades Lúdicas, exercício a meio tempo, ao passo que Anilton Andrade, sem exercício de funções, com as áreas da Saúde, Bem-Estar e Higiene Urbana, Relação com o Munícipe e Defesa do Consumidor, Associativismo, Cidadania e Participação.

A Albertino Graça, do PAICV, coube Relações Externas e Cooperação, Promoção, Desenvolvimento Económico e Sustentabilidade, Empreendedorismo, Empregabilidade e Apoio ao Investidor e Celeste da Paz, também do PAICV, com o setor da Educação, Estudos e Projetos, Formação Profissional e Igualdade de Género. Ambos exercem a meio tempo.

Ainda pode reler:

António Monteiro junta-se ao PAICV para dar “golpe político” em São Vicente

Consumado o “golpe político” em São Vicente

MpD alerta para “golpe político” na instalação dos novos órgãos municipais em São Vicente

2 COMENTÁRIOS

  1. Agora, é esperar para ver se o Paicv irá, novamente, cair no regaço do António Monteiro e contra São Vicente, um oportunista como ninguém, e “dodo pa grana”, também como ninguém, o António Monteiro quer mesmo é o dinheiro, muito dinheiro. Até no seu estilo António Monteiro afigura-se como os coroneis do Nordeste do Brasil que se elegem e fazem eleger seus capangas e só vão às suas cidades aos finais de semana. Mas a inversa também é verdadeira. Ou seja, se António Monteiro irá de novo oferecer ao Paicv uma colher de chá para lhe retirar o segundo posto em São Vicente. De todo modo, nada interessa ao António Monteiro, senão uma graninha para garantir uma boa mesada à família, de preferência, sem suor nem cansar e também pagos pelo Estado. O bazofo, se pudesse sentava-se na Praia, agora que descobrir “as cosas sabi de Santiago”, onde se sente muito bem, sempre às expensas da Assembleia Nacional, frequentando os melhores restaurantes e bares, comparecer aos ambientes mais chichies da Capital e só viaja para Mindelo aos finais de semana. Já não alimenta aquele ódio viceral contra os badios nem fala mais de “quês gajos di Praia”. Enturmou-se na Capital e é visto na companhia dos grandes tubarões do Paicv. António Monteiro é um despreparado na política. Vejamos: lidera a segunda maior força política de São Vicente, com amplo espaço de crescimento no espectro político da Ilha, em detrimento do Paicv. É o que faz AM? Em vez de trilhar seu próprio caminho, associa-se ao inimigo, o Paicv, ajuda reerguer a tropa do inimigo mais directo e adversário e mais ferroz, com a vantagem para este último que detém mais meios materiais e humanos para destronar a própria Ucid. Antonio Monteiro, de tão besta quadrada que é, não entende, tal como seu assessor nas besteirices, o Santos Luiz, que o adversário do Paicv, em São Vicente, não é, e nunca foi o MpD, mas a Ucid. Sim, porque quem está em terceiro em São Vicente é o Paicv que almeja o segundo lugar. Chegando ao segundo lugar, o seu adversário e motivação será o primeiro. De resto, quando se escuta o António Monteiro e seu assessor Santos Luiz, a sensação é de estar-se na presença de dois ETs recentemente aterrados na Terra. Não entendem de: 1. Economia; 2. Política; 3. Direito; Ciências do Ambiente; 4. Finanças; 5. Sociologia; 6. Filosofia; 7. Antropologia; 8. Geografia; 9. Relações Internacionais; 10. Teoria de Negociações; 11. Finanças Públicas. Os dois, dominam, sim uma única área de conhecimento: populismo e bazofaria. Neste momento em que a Ucid tem reais chances de deixar para trás o Paicv e fazer diferença em São Vicente, ocupando pelouros relevantes para preparar o partido para as eleições de 2021, com obras, que faz a dupla sertaneja? Recusa, porque a maior motivação do líder manhoso é encher os bolsos, de preferência, sem TRABALHAR, só a falar.

  2. A politica deve ser feita para o povo, não para si próprio.Isso deixa bem claro o provérbio “Puxar a brasa para a sua sardinha”. Se a sardinha do povo ficar crua nem se importam.

Comments are closed.