Bispo de Bafatá morreu de Covid-19

2

Informação é confirmada pela Agência Ecclesia

A morte do Bispo de Bafatá, ocorrida esta tarde, em plena Semana Santa, é decorrente da Covid-19, confirma a Agência Ecclesia, que faz saber que o Prelado estava internado há duas semanas no Hospital de Cumura.

Dom Pedro Carlos Zilli é Brasileiro, tinha 66 anos de idade – nasceu a 7 de outubro de 1954, e chegou à Guiné-Bissau como Sacerdote missionário logo após a sua ordenação como Padre do PIME, Pontifício Instituto Missões Exteriores, em 1985.

É o primeiro Bispo da Diocese de Bafatá, e foi ordenado Presbítero a 30 de junho de 2001 após sua nomeação pelo saudoso Papa João Paulo II, a 13 de março do mesmo ano.

Dom Zilli era um homem “simples, comunicativo, contador de histórias, amigo de todos, feliz na vocação sacerdotal missionária, enfim, um testemunho vivo do Evangelho”, assim refere a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil que já expressou “pesar e tristeza” por esta morte.

Também a Diocese de Bissau refere que a morte do Bispo de Bafatá “deixa um vazio enorme muito difícil a colmatar”.

O Bispo de Mindelo, em Cabo Verde, também comunicou a morte do Prelado, escrevendo que este “grande amigo e companheiro” da Conferência Episcopal da qual Cabo Verde e Guiné-Bissau, juntamente com a Mauritânia fazem parte, “partiu hoje para a Casa paterna”.

“Uma Páscoa nova junto do Cordeiro Pascal. Dom Pedro Zilli, Bispo de Bafatá, Guinée-Bissau. Muito amigo, humilde e companheiro da nossa Conferência Episcopal, partiu hoje para a Casa paterna; vítima de algumas complicações de saúde, certamente agravadas pela infecção Covid-19”, escreveu Dom Ildo Fortes na sua conta na rede social Facebook.

Notícia relacionada:

Morreu Dom Pedro Zilli, Bispo de Bafatá